Você sabia, carioca?
As universidades públicas do Rio de Janeiro, além de muito concorridas, são repletas de histórias e curiosidades. Conheça algumas:

UFRJ

Centenária e respeitada internacionalmente, a UFRJ foi a primeira universidade criada pelo Governo Federal, em 1920.

Presença registrada nas dez melhores posições de diversos rankings acadêmicos na América Latina, a UFRJ conta, hoje, com 176 cursos de graduação e 232 cursos de mestrado e doutorado, tendo mais de 4 mil docentes, 65 mil estudantes, 3 mil servidores que atuam em hospitais e 5 mil técnicos-administrativos.

UERJ

Pioneira, a UERJ foi a primeira universidade do Brasil a adotar processos seletivos nos cursos de graduação e desde o vestibular de 2003, o sistema de cotas é destinado a grupos socialmente marginalizados, com base na carência socioeconômica, entre eles, autodeclarados negros e pardos e estudantes da rede pública de ensino.

São cerca de 32 cursos de graduação, que se desdobram em licenciaturas e bacharelados, distribuídos em 7 campus pelo estado, sendo a única faculdade pública que possui o curso de oceanografia.

Também é curioso o número de restaurantes e lanchonetes pelos andares, além do famoso Bandejão, que dizem ser o melhor das universidades do Rio de Janeiro. Já provou? rs

UFF

Com 131 cursos, a Universidade Federal Fluminense é a maior universidade federal brasileira em número de alunos, rankeada nacional e internacionalmente entre as melhores universidades do país, e ainda conta com 29 bibliotecas, 580 laboratórios, 21 auditórios, Hospital Universitário (HUAP),  farmácia universitária, Hospital Veterinário (HUVET) e um Colégio de Aplicação, além de 1 editora, 4 livrarias e um Centro de Artes, composto por cinema, teatro, galeria de arte e espaço de fotografia.

Outra curiosidade é que o prédio da Reitoria em Niterói, foi um famoso Cassino.

UNIRIO

Além de um corpo docente com currículo invejável, formado por quase 95% de mestres e doutores, um dos atrativos da UNIRIO é a mobilidade internacional, com programas de intercâmbio que proporcionam experiências acadêmicas no exterior.

A Universidade também conta com um Hospital Universitário, com atendimento em ambulatórios, por meio de marcação de consultas e contribui para a pesquisa e a produção científica no país. Além disso, ela se diferencia por sua infraestrutura e qualidade de ensino.

COMO ME PREPARAR?

A dica para quem pretende ingressar em alguma dessas universidades, é o Pré vestibular do PENSI, que oferece o preparo necessário para que cada aluno possa alcançar a sonhada aprovação.
Ao longo do curso extensivo, o estudante tem aulas teóricas de todas as habilidades e competências exigidas no ENEM, com material especializado, foco em atualidades, testes de velocidade para que se adequem e se acostumem ao tempo que podem usar para cada questão e professores com grande familiaridade com o modelo da prova. 

Já o Intensivo UERJ, gratuito para todos os alunos que ingressarem nos cursos de pré vestibular, conta com um conjunto de aulas completamente focado no 1º Exame de Qualificação da Universidade. A partir de um preparo absoluto, o aluno consegue obter um excelente desempenho na primeira fase do vestibular da instituição e garantir o conceito A. 

Para ter um excelente desempenho, é necessário um excelente preparo.
Inscreva-se em pensi.com.br ou entre em contato com a unidade mais próxima.

#publieditorial

4 COMENTÁRIOS

  1. Falou alguém que entende de serviço público, senhor Ivan. Provavelmente você não estudou nem trabalhou em alguma dessas universidades. Mas tudo bem se indignar, você com certeza nunca dependeu do serviço que essas universidades prestam. Maus servidores você encontra também no setor privado, mas isso não importa né!? Agora, o curioso é que esse discurso que você e muitas pessoas têm, passa longe dos políticos, ministros, juízes, promotores e militares (que também são todos servidores). Por que não destila seu ódio contra esse escalão do serviço público? A resposta é simples, porque você tem medo e sabe que nada que fizer contra eles vai perpetuar. Então, é fácil desprestigiar universidades. O que você talvez não saiba (ou saiba e finge que não) é que as universidades privadas recebem uma fortuna de investimentos federais. Pergunte a qualquer aluno de pós-graduação da PUC, se tiver dúvidas. Claro que você não tem dúvidas, só tem ódio.

    • Vemos aqui dois pensamentos extremos.
      Eu sou servidor e afirmo. O nosso dinheiro, nosso pq tambem contribui, é mal usado sim! O erário é perdulário. Não tem quem o vigie, e qdo tem vigia, ele é conivente pq também gasta mal nosso dinheiro.
      Não é pq uma instituição presta um bom serviço que ela pode desperdiçar. Tento atender as pessoas como gostaria de ser atendido. Mas não sou hipócrita. Vejo colegas do meu lado não fazerem o mesmo e não ha quem possa demiti los. Poderia falar sobre desperdício no serviço publico por horas, mas ninguém se importa.

  2. E são também uma máquina de desperdício público, com custos altíssimos e eficiência mínima. Deve-se ter coragem para concedê-las a iniciativa privada, mantendo um percentual de bolsas para alunos de baixa renda. Do contrário, continuará servindo para formar legiões de bacharéis em direito, comunicação, ciências sociais e cadeiras afins, com empregabilidade nula.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui