Dani Monteiro: Editais abertos são um estímulo e um convite às rodas culturais

Artistas e grupos, atenção aos prazos para inscrição, é hora de mostrar o valor que vocês têm

O papo hoje é reto, mas bem poderia ser lírico. Metáforas à parte, quero aqui fazer um convite aos artistas, especialmente a turma do Hip Hop. Está aberto o segundo edital do Prêmio FUNARJ de Rodas Culturais do Rio de Janeiro, que vale para todo o território fluminense e é tido como uma conquista para o setor.

O edital de fomento é uma conquista e uma valorização do esforço para alcançar cada vez mais pessoas. A premiação em 2023 será de R$ 350 mil, valor que será distribuído entre as 50 rodas e batalhas selecionadas. Para a inscrição, basta comprovar que a sua roda cultural está em atividade, independentemente da sua região. Queremos mesmo é ver a expressão da diversidade da juventude fluminense.

A primeira edição, em 2022, foi braba, e esse termo diz muito sobre a potência desse movimento de artistas que, há pelo menos vinte anos, se mobilizam e oferecem Rap, DJ, Break e Grafite pelas praças e favelas da capital e estado adentro. Houve 149 inscritos, em 25 municípios diferentes, sendo que cerca de 80% deles nunca haviam participado de um edital de fomento público.

As culturais de Hip Hop, é sempre bom lembrar, envolvem jovens, essencialmente, habituados a um esforço gratuito, que pode ser entendido como amor à arte e solidariedade aos próximos, que precisam se alimentar também de cultura. É a legítima expressão artística de alguns para o deleite de muitos.

O esforço dessa galera para que o Hip Hop passasse de mera justificativa para “aglomeração” de jovens pretos e pobres em espaços públicos das favelas e periferias, para o reconhecimento como fenômeno artístico e cultural merecedor de políticas públicas foi grande. É preciso, portanto, valorizar a luta de todos esses atores que buscam sua emancipação enquanto dançam, constroem rimas, pintam e duelam, mas se entendem, porque aí é que está a graça: no reconhecimento da identidade.

Outro fator não menos importante é o reconhecimento da organização dos jovens como força de trabalho que precisa de fomento, o que é fundamental para garantir a estrutura dos eventos e a própria manutenção financeira desse fazer artístico. Sim, como quaisquer fazedores de cultura, a turma do Hip Hop precisa de renda que dê sustento e uma possibilidade de carreira e de vida.

Encerro com o lembrete de que as inscrições vão até 12 de outubro, está na hora de arrumar o portfólio e botar aquele vídeo daquela roda de que você gosta tanto para circular. Para conferir o edital e saber mais informações, acesse: http://www.funarj.rj.gov.br/node/250

Advertisement
irmandade lapa dos mercadores Dani Monteiro: Editais abertos são um estímulo e um convite às rodas culturais
Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui