Dani Monteiro: Fraude na vacinação é crime, Bolsonaro

Colunista do DIÁRIO DO RIO fala sobre aplicação da lei que prevê punição em território fluminense e cobra do governador aplicação da lei no RJ

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp

Faz pouco mais de um ano que a Assembleia Legislativa do Rio promulgou uma lei que incluiu penalidade para quem fraudar comprovante de vacinação. Na época, ainda enfrentávamos filas por uma dose que nos protegesse contra a covid-19. O ex-presidente Bolsonaro que não me leia, se não quiser saber a que tipo de sanção ele e todos os envolvidos no imbróglio da vacinação fantasma estarão sujeitos. Parece ironia, mas não é.

O texto foi devidamente sancionado pelo governo do estado. Eu me lembro bem, tanto por conta dos muitos danos que todos nós sofremos pela pandemia, como pelo fato de que sou a autora do projeto que estipula as devidas penalidades.

Está no artigo primeiro da lei nº 9.581, de 2 de março de 2022, que “as pessoas que forem flagradas fraudando a vacinação contra o Coronavírus (SARS-CoV-2), ao evadir do local com o comprovante antes de ter a vacina aplicada, bem como confeccionando, portando ou utilizando falso comprovante de vacinação, para entrada ou permanência nos locais onde seja determinado apresentação obrigatória do comprovante da vacinação”.

Também está previsto que um agente público, dentro de suas atribuições, uma vez flagrado “facilitando ou acobertando os atos descritos no caput também incorre nas mesmas penalidades, acrescidas pela metade.”

Advertisement

Leia também

Pedro Paulo cada vez mais certo como vice de Eduardo Paes – Bastidores do Rio

10 coisas que só quem anda de ônibus no RJ vai entender

Resumindo a situação do ex-presidente que tripudiou das 700 mil mortes no Brasil causadas pelo coronavírus, a Polícia Federal investiga fraudes envolvendo os cartões de vacinação dele, Bolsonaro, da sua filha, Laura Bolsonaro, e do seu ex-assessor Mauro Cid. O processo, relacionado às vacinas contra a covid-19, envolve mais pessoas, mas o que nos interessa, aqui, é que os registros que a PF aponta como falsos teriam ocorrido no município de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. O ex-presidente sustenta e chora ao dizer que nunca tomou a vacina contra o que ele mesmo chamou de “gripezinha”.

As notícias de hoje dão conta de que pode haver um terceiro registro falso de vacina em nome de Bolsonaro, no estado de SP. A Polícia Federal e a CGU devem investigar e esclarecer, mas os paulistas devem ficar atentos. Por aqui, Cláudio Castro é quem nos dará as devidas satisfações.

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Dani Monteiro: Fraude na vacinação é crime, Bolsonaro

Advertisement

3 COMENTÁRIOS

  1. Ta dificil achar uma lava-jato np governo do cara né?! É o sonho de vocês… mas infelizmente como não acham, vamos nos apegar ao genocida, que não colou…depois as jóias que o cara ganhou de presente, que também não colou…e agora rasura de cartão de vacinação. Fico muito triste em saber que a Policia Federal, com tantos casos sérios de narcotráfico (PCC), armas que entram pelas fronteiras e tantos crimes de grande Prejuízo à sociedade que deveriam estar sendo investigados, axabam ficando de lado pra ficar tentando achar agulha em palheiro pra incriminar o ex presidente. Saudades em que a PF era una instituição independente e não camburão executor de ordens do ministro da justiça. Estamos pagando salários e estrutura cara de uma policia especializada pra ficar brincando de prpcurar rasura de cartao de vacinacao.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui