Dauro Machado: Dom Orani, o grande

'Dom Orani Tempesta é amado por milhões. É uma celebridade no sentido positivo da palavra'

Em 12 de janeiro de 2023, comemoramos mais um aniversário importante para nós Católicos brasileiros, admiradores do Cardeal Arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Orani João Tempesta. Neste dia, em 2014, Sua Santidade, o Papa Francisco criava Dom Orani, Cardeal da Santa Igreja Católica, portanto Membro do Sacro Colégio. Seria como foi uma grande honra para o Rio de Janeiro, mas como Dom Orani e seu ministério ultrapassam fronteiras, foi uma honra para o Brasil e para os católicos do mundo inteiro.

A Divina Providência deu me a oportunidade de ser próximo do Cardeal e de ter sido o autor do livro “O Cardeal do Brasil” lançado no ano passado que conta parte da trajetória do Cardeal Tempesta no Rio de Janeiro.

Vejamos pois o quanto devemos comemorar por termos Dom Orani como Cardeal. Sem a pretensão de comparações que não são aconselháveis permito-me a iniciar este artigo replicando um texto que foi publicado pelo Monsenhor André Sampaio de Oliveira, Vigário Episcopal do Rio de Janeiro cumprimentando o Cardeal Tempesta por seu aniversário “Cardinalício”. Monsenhor André, para os que não sabem é Mestre e Doutor em Direito Canônico, Capelão de Sua Santidade tendo sido membro do Serviço Diplomático da Santa Sé. Diz o Reverendo Sampaio em seus texto de cumprimentos: “Parabéns Dom Orani João Cardeal Tempesta, O.Cist, pelo aniversário da sua nomeação ao Cardinalato, como alto dignitário da Igreja Católica que assiste ao Papa em diversas competências. Que Deus esteja na tua frente para mostrar o caminho certo… Que Ele esteja ao teu lado, para te abraçar e proteger… Atrás de ti, para te salvar de pessoas falsas… Debaixo de ti, para te amparar quando caíres e que te tire das armadilhas… Dentro de ti, para te consolar quando estiveres triste… Que Ele esteja ao redor de ti, para te defender quando outros te atacarem…Que Deus esteja sobre ti abençoando-te sempre…”

Que belas e necessárias palavras do Monsenhor a seu Arcebispo e amigo,  nosso Cardeal. Mas haverá na Igreja sentimentos mundanos como a inveja, a falsidade e o ardil? Claro que sim! A Igreja é Santa mas feita de homens e mulheres imperfeitos já que perfeição só Jesus.

Dom Orani Tempesta é amado por milhões. É uma celebridade no sentido positivo da palavra. O Cardeal transita pelos mais altos e respeitados círculos do Rio e do Brasil, foi agraciado com todas as honras, comendas e distinções possíveis, é estimado pelas mais expoentes figuras da república. Só isso já é o bastante para ser muitas vezes alvo de inveja e falsidades no entanto, o que certamente mais incomoda em muitos, do Clero ou leigos,  que ainda acreditam numa Igreja principesca, presa a tradições até certo ponto superadas e numa Igreja distante das pessoas, é o gigante de Deus que Dom Orani é quando está nas vielas das favelas, como os moradores de rua, com os esquecidos e marginalizados, com aqueles que muitos da Igreja fazem questão de virar as costas e fingir que não existem. Dom Orani é muito mais Dom Orani quando está conversando, dando alimento, dando cobertos e pregando a esperança em Jesus para aqueles que muitos olham com desdém, até com nojo.

Dom Orani não é homem apenas de discursos, é Cardeal de gestos concretos. Se as palavras encantam, SÓ O EXEMPLO ARRASTA e Dom Orani dá exemplos diáriso de sua preferência pelos mais simples.

Eu, que muitas vezes o acompanho em algumas de suas agendas, e faço isso principalmente porque junto dele sinto estar plenamente em sintonia com Deus e Jesus, sou testemunha do quanto esse homem é amado, é querido, é respeitado. As pessoas querem tocá-lo, querem ouvi-lo, querem estar perto dele, querem sua benção.

Dia desses estive com ele na Igreja da Sagrada Família, na comunidade da Maré. O local tem uma realidade própria, fruto de anos de ausência do Estado e de abandono. Se não vêem a comunidade escondida atrás de convenientes placas de acrílico afixadas ao linha vermelha para esconder o que aos olhos de muitos “é feio”. Dom Orani ingressa no interior do que um dia se chamou favela com os mesmos passos, sorrisos e gentilezas que trafega onde estão os abastados. Recordemo-nos que abastados e não abastados terão o mesmo destino final e estarão diante de Deus para responderem por suas atitudes.

Na passagem do Ano e eu estava com ele,  Dom Orani Tempesta foi abençoar a cidade do alto do Cristo. Haviam muitas pessoas que festejavam o privilégio de estarem próximas do Cardeal. Por volta da uma hora da madrugada, Dom Orani se deslocou para uma obra social em Laranjeiras comandada pelo Padre Geovanni. Ali estavam também muitas pessoas que o esperavam, TODAS pessoas muito simples assistidas por tão relevante missão de caridade. Novamente o Cardeal agiganta-se, é como se uma luz o envolvesse sempre que ele está com os menores.

Esta vocação a caridade e opção de estar com seu povo mais simples, certamente incomoda a muitos, muitos em posições hierárquicas menores, muitos, que por mais que queiram, que ensaiem, que tentem, não consegue ser o que Dom Orani é e o que ele significa para a verdadeira Igreja Católica segundo os ensinamentos de Jesus. Ele é assim, é natural, não é uma performance. Poucos Oranis surgirão na Igreja Católica, o que de fato lamentamos.

O que lhe dizer meu amado Cardeal quando se comemora mais um ano de aniversário em que o Senhor recebeu suas vestes corais? Dizer nada além de muito obrigado por existir para a Igreja do Brasil.

Termino este artigo lhe pedindo a benção e se alguém me perguntasse como eu definiria Vossa Eminência com uma frase ou pensamento, não hesitaria, usaria o pensamento de São Bernardo de Claraval que nos diz: “O amor não busca outro motivo e nenhum fruto fora de si; ele é seu próprio fruto, seu próprio deleite. Amo porque amo; amo para poder amar.”

O senhor é isso Dom Orani… é amor e homem de Deus e eu aqui me coloco como o menor de teus filhos na Fé mas com o amor gigante que não se compara a todo amor que o senhor compartilha com aqueles que encontra em teu caminho. Salve. Salve Dom Orani, o grande, o Cardeal Tempesta, o Cardeal do Brasil, o Cardeal de todos.

Este é um artigo de Opinião e não reflete, necessariamente, a opinião do DIÁRIO DO RIO.

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui