Dauro Machado: O universalismo é uma aberração

Colunista do DIÁRIO DO RIO aborda o universalismo e suas polêmicas dentro da Igreja Católica

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp

Tenhamos a certeza de que o liberalismo teológico é como um cancro que vai minando a Santa Igreja Católica. Os chamados teólogos liberais relativizam a salvação das almas afirmando falsamente de que sem Cristo é possível alcançar a salvação. Não é verdade. Fora de Jesus Cristo, Salvador e Redentor não há salvação. Para alguns basta ser caridoso e bondoso para ser salvo. Que grande equívoco. Claro que a caridade é uma virtude que devemos praticar diariamente, mas só ela não nos garante o livramento da danação de nossas almas. pessoas de bem ou caridosas. Existem ainda aqueles que negam a existência do inferno ou que de forma simplista afirmam: “Estar no inferno é apenas estar longe da presença de Deus.” Vejamos pois as Escrituras onde Jesus, o Salvador, adverte sobre o inferno. Não é possível, crendo na Bíblia na Sagragda Negar a existência do inferno. Quem desacredita do Inferno desacredita do próprio Cristo Quem aceita Jesus como Senhor e Salvador acata e aceita seus ensinamentos.

O Inferno é uma realidade bíblica inquestionável, sua existência foi instituída pelo próprio Deus. Os universalistas alegando serem amorosos e generosos ignoram as verdades irrefutáveis ensinadas por Cristo.

Para os que pregam a famigerada Teologia do Universalismo todas as pessoas serão salvas Essa é uma visão caolha da verdadeira teologia. Nossos atos, nossas ações e principalmente nosso arrependimento pelos pecados que temos nos levarão à salvação.

Advertisement

Deus é amor mas também é justo em seu governo e em seu julgamento. A salvação só é alcançada por intermédio de Jesus Cristo. Não seria necessário Evangelizar se diferente fosse, ora! Não sabemos portanto a hora em que cada um será enviado de volta a casa do Pai. Orai e vigiai-me nos é ensinado. É necessário que ao longo da vida façamos nosso ato de contrição nos arrependamos sinceramente de nossos pecados, confessemos nossas falhas a um Ungido de Deus e em estado de graça, seremos salvos. O universalismo, que aqui escrevemos em letras minúsculas propositalmente ensina erradamente que a misericórdia de Deus é tão grande que nossos atos de bondade e caridade durante a vida são “créditos” que vamos acumulando até que alcancemos determinados “pontos” que nos garanta a salvação. O universalismo mais parece um programa de milhas de uma empresa aérea. Com certa quantidade de milhas ganhamos uma viagem.

Esses modernismos são uma praga e lamentavelmente existem correntes na Igreja que o aplaudem e o propagam.

A exegese Bíblica ampliada não é a correta interpretação do livro sagrado. Não é permitido que de maneira sáfaros arvorem-se a introduzir teologias obscuras no coração do povo de Deus. A estes o inferno verdadeiro, mostrado por Cristo na Bíblia e por tantas revelações como as de Santa Faustina, tem um lugar reservado. O universalismo é uma vergonha. A porta é estreita já nos ensinou Jesus Cristo, devemos
sim nos arrepender a tempo de passar por ela. Qualquer coisa fora disso é mera especulação ou conveniência de interpretar a palavra de Deus como melhor convém. Francamento, o universalismo é uma grande blasfêmia, uma aberração e portanto uma heresia.

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Dauro Machado: O universalismo é uma aberração
Avatar photo
Jornalista, especialista em assessoramento e cerimonial público, Bacharel em Direito, publicitário e Radialista. Também tem formação em Assessoria de Imprensa e relações institucionais, além de editor de jornais, livros, revistas e outras publicações
Advertisement

4 COMENTÁRIOS

  1. Então por que vocês não falam também dos crimes que a própria Igreja cometeu durante das Cruzadas, a Inquisição, dentre outros eventos que se seguiram ao longo dos séculos? E os casos de pedofilia na própria Cúria? Pimenta no cu dos outros é refresco!

  2. Demorei um tempo a conseguir ligar seus argumentos à própria ideia de “Universalismo”. Como bem pontuou o amigo acima, a propagação da Igreja deu-se por uma perspectiva universal, ou mundial como prefere. O termo então – universalismo – não ficou claro. Aliás, o próprio étimo “católico”, se não me falha a memória, significa UNIVERSAL.

    Sobre o momento pelo qual passa a Igreja, tenho uma visão privilegiada: – de quem vê de fora. Religiosamente não me declaro católico, tampouco cristão, mas tenho, sim, o conhecimento de sua sacralidade milenar e reconheço a Igreja como base de nossa construção societária.

    À impressão de um leigo, a Igreja moderniza-se indo contra seu legado e protagonismo filosófico dos séculos anteriores. Hoje parece cumprir uma função de conforto do ego, muito parecida com a dos evangélicos. Diante desta postura, a Igreja moderna soa como uma caricatura. Não de si mesma, mas do protestantismo.

    A sacralidade, o perfil artístico, o papel científico e a contribuição social (não me refiro a esmola) acabam por ficar em segundo plano numa Igreja que não consegue enxergar seu papel no Sec. XXI.

    A saída da Igreja é olhar para si mesma e conseguir enxergar seu papel de vanguarda neste mundo cheio de ideologias e egos. É debruçar-se sobre séculos passados e trazer aos viventes um pouco de seus exemplos de zelo, perseverança e fé.

    Por fim, é sair do terreno comum, tão congestionado pelo evangelismo pentecostal, e oferecer diálogo.

    Se cometi algum ou muitos deslizes doutrinários, peço perdão. Não tenho a menor coragem de desrespeitar a Igreja. Mas percebo uma Igreja de 2000 anos desmoronar a olhos nus.

    Não sei se vai ler isto, mas fica o comentário.
    Um bom dia!

  3. Se o universalismo é uma aberração, o que o senhor acha que animou a expansão católica pelo mundo? A ideia universalista de que o cristianismo católico é a verdadeira religião e que portanto devia ser levado a todo o mundo. O cristianismo, assim como o Islã, são religiões universalistas.

    • No momento que o cristianismo fala de todos iguais perante Deus, demonstra não ter essa ideia, que somos todos semelhantes perante nossas diferenças. A igreja católica não é o representante do cristianismo na terra, está confundindo doutrina com cristianismo… já o socialismo, comunismo… todos iguais 🙂 bem pobres rs…

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui