Institutos de pesquisa demonstram que a população brasileira, em sua grande maioria, não acredita nos políticos. As críticas são sempre ferozes e não seria diferente ante a qualidade e caráter da maioria fisiologista dos componentes das duas casas do Congresso Nacional. Na última sexta feira, 11 de outubro, a Polícia Federal, deflagrou mais uma operação indo cumprir mandatos em Alagoas. A investigação é por crime de lavagem de dinheiro na compra de imóveis em leilões públicos. Adivinhem que é o suspeito: – O ex Presidente Fernando Collor de Mello, que saiu da vida público brasileira pela porta dos fundos através de um impeachment. 

Fernando Collor é hoje Senador da Republica, eleito diretamente após ter restabelecido seus direitos políticos. Não é de se espantar que mais uma denúncia paire contra o ex Presidente, à época eleito como o “caçador de marajás.” Fernando Collor, PC Farias e outros de sua grei assaltaram a república e afrontaram a democracia brasileira que na época se restabelecia. Não é de se espantar que Collor use meios nada republicanos para lavar dinheiro, basta lembrar do famoso Fiat Elba e dos jardins da casa da Dinda, escândalos que antecederam o processo de impedimento.

O que é espantoso é como Collor de Mello e outros políticos cretinos estão com mandato no Senado da República e na Câmara dos Deputados. Eles não foram indicados, plantados e nem tampouco nasceram nas casas do Congresso como grama ou capim rasteiro. Eles foram eleitos pelo voto popular. 

A conversa mole de que o eleitorado carente é que os elege em troca de miuçalhas não é uma verdade absoluta. As regiões pobres do País demonstraram nas últimas eleições que votam naqueles que querem, que sabem escolher um lado, ainda que o lado escolhido seja o pior possível. A questão geográfica também não pode ser motivo para entender como tantos canalhas são eleitos no Brasil. Tanto nas regiões mais pobres nas demais vemos que velhas raposas da política ainda são eleitas e reeleitas, elegem e reelegem filhos e a parentes. 

Não adianta o eleitorado usar as redes sociais ou outros meios para manifestar a indignação que tem pelos políticos. O único modo de se livrar de sujeitos escroques, sejam eles da região que forem é votar corretamente. Os políticos desonestos estão sendo apenas o que sempre foram: desonestos. O eleitorado é que precisa votar de forma a não permitir que tais aberrações vençam as eleições e gozem de um mandato eletivo. 

Torno a repetir: Se os políticos medíocres e larápios infestam o Congresso Nacional, prejudicam o País e a imagem dos bons políticos, não nasceram como grama, foram eleitos dentro das regras do jogo. Somente votando com consciência haverá de acontecer a sonhada limpeza ética nas casas legislativas brasileiras. 

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui