Dauro Machado: Preconceituosos e atrevidos, ultra conservadores católicos desafiam a autoridade da igreja e atacam suas mais importantes lideranças

'Católico de verdade tem dever de obediência e seus Bispos, tem de estar em comunhão com o Papa, tem de defender a Igreja e aceitar suas normas, inclusive as que foram consagradas pelo concílio Vaticano II'

No Brasil temos por hábito usar o que chamamos de ditados populares. Um dos mais falados é: “O combinado não sai caro.” Esta frase simples, mostra de forma resumida que sendo ajustado anteriormente, sendo conhecidas as regras do jogo, não há que se questioná-las depois. A maioria dos Padres Católicos em exercício de seus ministérios nasceram pós o Concílio Vaticano II e mais, concluíram seus estudos quando o mesmo, iniciado por São João XXIII e São Paulo VI já o haviam consolidado.

O Concílio quando instaurado foi visto com reservas pelos setores mais conservadores da Igreja, cujo um dos expoentes era o Cardeal Alfredo Ottaviani (1890/1979). À época detentor de grande poder na Cúria Romana, articulou para eleição do Papa João XXIII imaginando tolamente que poderia controlá-lo como um mero “Papa de transição”. Ledo engano. São João XXIII reinou iluminadamente e, inspirado pelo Espírito Santo, realizou o Concílio Vaticano II dando à Igreja novos ares, permitindo por exemplo que as Missas fossem celebradas na língua de cada País, que os Padres ficassem de frente para o povo, entre outras mudanças relevantes como o prestígio ao ecumenismo e ao diálogo inter-religioso. O Concílio Vaticano II foi concluído por São Paulo VI e tornou-se uma realidade consolidada.

As pomposas Missas em latim ficaram restritas às solenidades Vaticanas e a celebrações em Igrejas específicas desde que com autorização dos Bispos. Convenhamos que a Missa em latim por mais pomposa que fosse e cheia de ritos e mesuras não era compreendida pela maioria dos fiéis que exercitavam a declamação de textos decorados, num latim macarrônico sem terem a menor idéia do que estavam falando.

Quando os Padres, e aí falamos daqueles ativos em tempos atuais ingressaram no Seminário já conheciam o Vaticano II, já conheciam o novo pensamento da Igreja Católica, já sabiam de tudo. Agora, em tempos estranhos onde tudo é motivo de polarização vemos recrudescer movimentos ultra conservadores que na verdade são extremamente cafonas. Tiveram até certo lugar nas décadas de 60 e 70, com Plínio Corrêa de Oliveira e tua famigerada, preconceituosa e desagregadora TFP – Tradição, Família e Propriedade.

O tempo passou e esses movimentos deixaram seus adeptos “raiz” e outros, na maioria desinformados e pedantes que se auto proclamaram herdeiros desse monstrengo chamado ultra conservadorismo católico.

O terrível de tudo isto é que, esses movimentos encontram apoio de uma minoria do Clero. São Padres, normalemnte com teologia suficiente para ouvirem confissões em pequenas capelas que encontram holofotos proclamando-se ultra conservadores, defensores do rituais antigos abolidos pelo Vaticano II e de uma Igreja com pompa e circunstância mas afastada do povo, dos pobres e do que nos é ensinado no Evangelho. São oportunistas.

Ora mas é livre o direito de pensar, é livre o direito de se manifestar mas não é lícito afrontar a Igreja indo de encontro às normas e regras que esses Padrecos já conheciam quando foram ungidos ao Presbiterato. Não é correto afrontar as lideranças Católicas, o Papa, Sucessor de Pedro e os Bispos, Sucessores dos Apóstolos, exigindo deles retrocessos ao pré Vaticano II. Esses bobocas, bajulados por uma minoria de ultra conservadores quando foram Ordenados sabiam das regras. Olha aí: O combinado não sai caro.

Semana passada na Arquidiocese do Rio de Janeiro, o Cardeal Arcebispo Dom Orani João Tempesta declarou a excomunhão de um Padre que se “reordenou” Sacerdote num desses movimentos ultra conservadores da Igreja, uma dessas comunidades de pensamento medieval cujos membros em sua maioria devem sim ser estudados pela Psiquiatria. O Padre cometeu o delito Canônico do “cisma” que é promover ou tentar promover a divisão dentro da Igreja. Não restou outra saída ao “Ordinário”, no caso o Cardeal Arcebispo que aplicar-lhe a excomunhão. Pelas regras da Igreja este Padre, de importância tão insignificante que sequer mencionarei o nome está fora da Igreja Católica, fora da Comunhão com o Papa de Roma, impedido de ministrar Sacramentos. Felicidades para ele. Ele que se não concorda com as regras que sabia existir quando tornou-se Sacerdote que funde uma religião, algo tão fácil no momento, ele que vá para uma dessas comunidades tradicionalistas, ele que vá para onde sentir espiritualmente feliz. Na Igreja Católica NÃO DÁ.

Católicos estão sob autoridade do Bispo de Roma e dos Bispos espalhados pelo mundo inteiro. Não precisa pesquisar muito não. Não é necessário grandes estudos teológicos para ter esta certeza. Basta recitar o Credo. Está tudo ali.

Passada esta etapa digamos pedagógica, passemos para os leigos ultra consevadores da Igreja. Sim, barulhentos, na maioria preconceituosos, fariseus também é uma comparação apropriada. Do ponto de vista sociológico e antropológico, essa minoria de Padres, minoria ainda menor de Bispos e barulhentos e também não numerosos ultra conservadores são os grandes responsáveis pelo êxodo de Católicos e pelo crescimento dessas horrorosas denominações neo petencostais no Brasil. São eles sim os responsáveis na medida que barulhentos como são tentam e as vezes conseguem ao longo dos anos dividir a Igreja.

Neste episódio da excomunhão do Padre que já Padre se reordenou Padre, permitam-me rir de tamanha sandice, a medida tomada pelo Arcebispo do Rio de Janeiro não poderia ser outra. O ato é delito canônico grave. Mais grave de tudo isto são considerações dos de novo barulhentos conservadores nas redes sociais que sem o menor pudor, respeito ou obediência atacam de forma descarada o Papa de Roma, chamando-o pelo nome civil, atacam o Arcebispo e atacam todos aqueles que os defendem como LEGÍTIMOS representantes da Igreja Católica Apostólica Romana.

Católico de verdade tem dever de obediência e seus Bispos, tem de estar em comunhão com o Papa, tem de defender a Igreja e aceitar suas normas, inclusive as que foram consagradas pelo concílio Vaticano II.

Aqueles que são contrários a estas deliberações tem todo o direito de procurarem outras religiões.

Esses supostos líderes de comunidades, institutudos, páginas na internet, sites ultra conservadores, são livres para defender seus ideais antiquados, de uma Igreja distante, de uma Missa onde não se entendia nada, de uma Igreja onde os mais ricos assistiam a Missa na frente e os pobres nos fundos da Igreja. Estes conservadores, são uma maldição ao Catolicismo e um cancro especialmente na América Latina. Devem ir com seus ternos cafonas e suas figuras, sejamos francos, um tanto quanto visualmente esquisitas, fundarem a própria Igreja, mas se quiserem ser Católicos Romanos ou obedecem as regras ou serão excomungados.

Chega de passar pano para essa gente. Fingir que eles são bonzinhos, que eles são bem intencionados. É um bando de gente com patologias psiquiátricas. São parias, fariseus.

Enquanto Católico não me calarei ou admitirei silenciosamente que se critique o Papa e muito menos grandes homens da Igreja, homens Santos, cujo ministério é uma luz, um exemplo e uma inspiração, tomando aqui como exemplo o Arcebispo do Rio de Janeiro, Orani João, Cardeal Tempesta.

Encerro fazendo uma observação: Dom Orani vai aos pobres, alimentas os famintos tanto com a palavra quanto com o alimento em si, agasalha os que passam frio nas ruas e nos cantos mais escuros do Rio de Janeiro, pratica a caridade, acolhe a todos, ouve o pecador, é luz na vida de milhões de Católicos. Em nenhuma dessas ações que ele faz em favor dos excluídos e esquecidos numa presenciei nenhums destas abjetas figuras do ultra tradicionalismo presentes. Enquanto Dom Orani faz o que o ensina o Evangelho e o próprio Jesus, esses FARISEUS ficam em suas reuniões chatas, confabulando contra a Igreja, afrontando a autoridade do Papa, criando conspirações que não existem, afirmando que os Papas são impostores e Arcebispos e Bispos são lobos.

Deixem de conspirar raça de víboras, não se preocupem tanto com rituais, liturgias ou miuçalhas. Sejam Católicos e pratiquem o Evangelho como Dom Orani e tantos outros Bispos o fazem: cuidem do povo de Deus mais necessitado.

Enquanto os senhores ficam a tentar esculhambar a Igreja e seus grandes líderes, estes mesmos líderes estão a praticar a caridade, espalhar a esperança e divulgar a boa nova do Evangelho de Jesus Cristo.

A estes falsos papagaios do ultra conservadorismo Católico tenham a certeza: Deus lhes cobrará satisfações.

Advertisement

2 COMENTÁRIOS

  1. Sr. Dauro, és um homem de muito conhecimento. Esses dias estava lendo um loco que de passagem citava no cristianismo algumas outeas “vertentes” que nunca ouvi falar (quakers, shakers).
    É possível que no Brasil, pelo grande número de cristãos, novas venham a surgir. Não?

  2. alguns pontos da doutrina católica eu não concordo, mas não ataco nem falo mal da igreja. guardo pra mim. não a vilipendio, nem ataco a autoridade do papa. posso não concordar, mas respeito sua história, sua moral, sua contribuição para a humanidade.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui