Depois de anos de atividades Livraria Galileu, do Largo do Machado, fecha as portas

Ao contrário das demais, a livraria localizada na Rua do Catete, nº 347, encerrará as suas atividades por conta da idade avançado do seu proprietário

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Livraria Galileu - Largo do Machado / Foursquare

Depois do encerramento das atividades das unidades Ipanema e Tijuca, chegou a vez da Livraria Galileu do Largo do Machado fechar as portas. Ao contrário das demais, a livraria localizada na Rua do Catete, nº 347, encerrará as suas atividades por conta da idade avançado do seu proprietário, 93 anos.

De acordo com funcionários do estabelecimento, o dono da loja teria desistido da livraria, uma das melhores da região, que formou gerações de leitores por meio de um ótimo e diversificado acervo.

No dia 30 de janeiro deste ano, a Galileu da Tijuca, localizada na Rua Major Ávila, também fechou as portas. A unidade era tradicionalíssima no bairro e adjacências.

A empresa contava com mais de 30 anos de funcionamento e serviços prestados à comunidade da Zona Norte do Rio de Janeiro. Na ocasião, a direção da empresa alegou ser impossível competir com as lojas virtuais, acrescido do fato de o dono da loja também ser uma pessoa de idade avançada.

Advertisement

Na época, a presidente da Associação Estadual de Livrarias do Rio de Janeiro (AEL), Danielle Paul, lamentou a situação: “Penso que o fechamento de livrarias a qualquer momento é motivo de alerta social. Livrarias não existem para vender apenas livros. São ambientes de sociabilidade, diálogos através de escritos que dizem dos seus tempos. São muitas as vozes que falam em livrarias, e podem ser incríveis os encontros que ambientes como esses propiciam”, disse Danielle Paul, conforme reportou o jornal O DIA.

Com informações: Agenda Bafafa e jornal O DIA

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Depois de anos de atividades Livraria Galileu, do Largo do Machado, fecha as portas
Advertisement

2 COMENTÁRIOS

  1. Realmente como a Sra. Elvira disse acima é uma tristeza profunda! A Livraria Galileu era uma referência e tinha um atendimento singular! Quando a filial da Tijuca fechou e, depois, a rede ficou restrita à Loja do Largo do Machado, foi uma perda incomensurável para o público em geral! É evidente que as livrarias virtuais, são uma boa opção, mas, a Livraria Física é INSUBSTITUÍVEL! Quantas vezes, fui ali à procura de um título específico e, em outros momentos, ao passar perto do local, avistei um livro que me chamou atenção. Entrei, li algumas páginas e comprei! Agora não teremos mais essa oportunidade! Ao passar por lá hoje e ver as estantes vazias, deu vontade de chorar! É muito triste! Muito mesmo! A Cidade do Rio de Janeiro, está ficando com um número muito reduzido de livrarias! Repito, muito triste.

  2. Uma triste notícia. Em Manaus também fecharam algumas livrarias e isso deixa aquele sentimento de que espaços importantes da cultura local que deixam de existir irão prejudicar o desenvolvimento da cultura da leitura e das conversas sobre os conteúdos dos livros das próximas gerações. É muito triste quando uma livraria fecha, porque nesse local podemos tocar os livros, folheá-los e identificar palavras que se coadunam com o que procuramos, e que poderá ou não nos motivar a realizar a compra. Sinto muito pelos cariocas, sinto muito pelo Brasil. Gratidão ao proprietário por tudo o que proporcionou no desenvolvimento de seus leitores até os dias atuais.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui