Deputado Anderson Moraes defende gratificação de R$ 10 mil para policial que apreender fuzil

Para Anderson Moraes a população perdeu a capacidade de estranhar um fenômeno singular: convivemos com fuzis em nosso cotidiano como se fosse normal

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Foto: divulgação / Alerj

O deputado Anderson Moraes (PL) protocolou um projeto de lei na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), na semana passada, que prevê uma bonificação de R$ 10 mil pela apreensão de fuzis aos agentes envolvidos em operações dos órgãos de segurança do estado.

De acordo com o texto, a gratificação será para cada armamento apreendido e deverá que ser dividido, igualmente, entre todos os agentes que participaram da ação, com o dinheiro sendo creditado diretamente na conta bancária do policial. A proposta é que os recursos para pagamento da bonificação saiam do Fundo Estadual de Investimentos e Ações de Segurança Pública e Desenvolvimento Social (Fised). “Recompensar de verdade, com valores significativos: R$ 10 mil, R$ 15 mil por peça”, defendeu o deputado. E continuou: “A população perdeu a capacidade de estranhar um fenômeno singular: convivemos com fuzis em nosso cotidiano como se fosse normal”.

A proposta se baseia em uma experiência já vivida no estado do Rio de Janeiro, entre 1995 e 1998, durante o governo de Marcello Alencar. Apelidada na época de “Gratificação Faroeste”, a medida estabelecia uma gratificação que variava entre 50% e 150% do valor total do salário nos vencimentos do policial premiado.

A medida foi revogada em 1998 por uma lei do deputado Carlos Minc, que definia que as premiações deveriam ser submetidas ao Legislativo.

Advertisement
Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Deputado Anderson Moraes defende gratificação de R$ 10 mil para policial que apreender fuzil
Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui