Desemprego no Rio apresenta a menor taxa depois de seis anos

Numero consta na oitava edição de 2022 do Boletim Econômico do Rio, da Secretaria Municipal de Desenvolvimento

Pedestres atravessam a rua no Centro do Rio • Foto: Rafa Pereira, Diário do Rio

A taxa de desemprego no Rio de Janeiro atingiu o patamar de 9,8% no segundo trimestre de 2022. O número é o menor dos últimos seis anos. O dado é referente a oitava edição de 2022 do Boletim Econômico do Rio, da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Inovação e Simplificação (SMDEIS), que também mostra que a busca para encontrar uma vaga está na casa das dezenas desde o terceiro trimestre de 2016, quando o índice era de 7,9%.

Nesta semana, números da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD), do IBGE revelaram que o estado do Rio de Janeiro tem hoje a menor taxa de desemprego desde o 3º trimestre de 2016: 12,6%.

Segundo dados do Novo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), no primeiro semestre de 2022, foram gerados 104.144 empregos com carteira assinada no estado. O número teve um aumento de 55,32% quando comparado ao mesmo período do ano anterior.

O Rio de Janeiro foi o terceiro estado que mais gerou empregos em 2021, quando foram criados 184.389 postos de trabalho formal (atrás apenas de São Paulo e Minas Gerais). Esse resultado é 218,2% maior que o saldo do ano anterior, segundo o Caged. Em 2020, o saldo de trabalho formal no estado tinha sido negativo: – 150.805 postos.

O avanço da empregabilidade no estado também se deve à desburocratização que favoreceu a atração de novas empresas e investimentos. De setembro de 2020 a julho de 2022, 137.972 empresas foram abertas no Rio de Janeiro: 23.865 de setembro a dezembro de 2020; 72.894 em 2021, um recorde histórico nos 214 anos da Junta Comercial do Estado; e 41.213 de janeiro a julho de 2022.

Advertisement

1 COMENTÁRIO

  1. Que lugar bom pra se viver, hein? decerto não é a mesma cidade onde eu, domingo, ao fazer um curto percurso de uns 200 metros com duas quentinhas na mão, precisei fugir de umas 4 pessoas que me assediaram, famintas.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui