Dezembro Laranja: autoexame de câncer de pele ganha relevância com crescimento do número de casos no país 

Método ABCDE é ainda pouco conhecido, mas permite identificar possíveis melanomas

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp

Segundo dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), em 30 anos, o número de dias com ondas de calor ao ano no Brasil saltou de 7 para 52. O agravamento do cenário climático no país levanta questões sobre os cuidados com a pele, com o perigo das altas incidências de raios UVA e UVB nas superfícies cutâneas. A campanha Dezembro Laranja foi desenvolvida pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) para a conscientização sobre câncer de pele. A doença é o tipo de câncer mais comum entre os brasileiros e pode ser detectada com antecedência pelo autoexame ABCDE, ainda pouco conhecido entre a população.  

Apenas entre 2018 e 2022, foram registrados quase 260 mil casos de câncer de pele no Brasil, uma média de 52 mil casos por ano, segundo dados divulgados pela SBD. Os tipos de câncer de pele se dividem entre os não-melanomas e os melanomas. O tipo não-melanoma atinge as células basais e escamosas e configura menor mortalidade. Já o tipo melanoma tem origem nos melanócitos, células que produzem melanina e estabelecem o tom de cor da pele. Ele tende a ser mais grave, pois possui alta possibilidade de se espalhar para os órgãos vizinhos (metástase), mas pode ser contido quando detectado em fase inicial. Uma das maneiras de observar a evolução de melanomas é o autoexame ABCDE, segundo Dra. Maria Paula Muniz Tinoco, dermatologista e professora da Unigranrio.  

“O ABCDE é uma ferramenta simples de avaliar os sinais de alerta de possíveis melanomas. As letras representam: Assimetria, Bordas irregulares, Cor variada, Diâmetro maior que 6 mm e Evolução ao longo do tempo. É importante que as pessoas fiquem atentas a possíveis mudanças nas próprias pintas quando observarem a própria pele”, ressalta a médica.  

O cuidado com a pele deve ser um hábito diário. Segundo a médica, as pessoas devem conhecer o próprio corpo a fim de detectar pequenas mudanças que podem ser cruciais para um tratamento efetivo de algum problema de pele. Além do histórico familiar e a propensão genética para a doença, a vivência diária sem proteção da superfície cutânea pode contribuir para o surgimento de melanomas. 

Advertisement

Leia também

Estrangeiros LGBTQIA+ estão comprando todos novos imóveis de Ipanema – Bastidores do Rio

TransBrasil inicia operações neste sábado, da Penha ao Terminal Gentileza

“Para prevenir problemas de pele, todos devem adotar práticas como usar protetor solar diariamente, evitar exposição excessiva ao sol, vestir roupas protetoras, evitar camas de bronzeamento e realizar exames regulares de pele. Essas medidas simples podem ajudar na prevenção do câncer de pele e de outros problemas dermatológicos graves”, ressalta a professora da Unigranrio. 

Dra. Maria Paula detalhou o significado de cada letra do método ABCDE. Cada inicial indica um aspecto diferente para o qual a pessoa deve ficar atenta se observar sinais no corpo.  

Método ABCDE:  

Assimetria  

Caso uma pinta se apresente com uma forma assimétrica, ela pode apresentar indícios de malignidade.  

Bordas Irregulares 

Um melanoma costuma apresentar certa irregularidade no entorno das bordas, com um contorno mal definido. 

Cor Variada 

É importante que o indivíduo fique atento se o sinal possui coloração única. Caso contrário, se a lesão apresentar diversas tonalidades ao mesmo tempo, isso pode indicar um possível problema. 

Diâmetro 

A dimensão de cada sinal ou mancha é um fator crucial ao avaliar a detecção de doenças. Caso o diâmetro da marca exceda 6 mm, é recomendável buscar uma avaliação mais detalhada. 

Evolução 

É importante identificar se há algum crescimento ou modificação progressiva da pinta. Muitas vezes, a evolução do quadro pode ocorrer de maneira rápida, o que requer bastante atenção.  

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Dezembro Laranja: autoexame de câncer de pele ganha relevância com crescimento do número de casos no país 

Renata Granchi
Renata Granchi é jornalista e publicitária com mestrado em psicologia. Passou pela TV Manchete, TV Globo, Record TV, TV Escola e Jornal do Brasil. Escreveu dois livros didáticos e atualmente é diretora do Diário do Rio. Em paralelo, presta consultoria em comunicação e marketing para empresas do trade.
Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui