Dia da Reciclagem: Rio de Janeiro produz cerca de 10 mil toneladas de lixo por dia e menos de 2% é reciclado

Considerando não só a capital, mas toda a Região Metropolitana são 17 mil toneladas todos os dias

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Foto: Reprodução Internet

Dezessete de maio é o dia internacional da reciclagem. O mesmo número 17 corresponde às toneladas de lixo produzidas todos os dias na Região Metropolitana do Rio de Janeiro. Desse montante, 10 toneladas vêm da capital do estado. Os dados foram levantados pelo Movimento Baía Viva. Do lixo produzido pela capital, 1,6% é reciclado.

“Esse pouco lixo reciclado só é possível graças a ação dos catadores, porque boa parte dos municípios do Rio de Janeiro não fazem coleta seletiva. O que é ilegal, inclusive, porque a Lei 12.305/2010 instituiu a Política Nacional de Resíduos Sólidos, obrigando as prefeituras a ter um plano de coleta. Isso em nosso estado é quase inexistente”, afirma o ecologista do Movimento Baía Viva, Sérgio Ricardo.

Por quatro décadas, o lixo produzido na Região Metropolitana do Rio parava no Aterro Sanitário de Jardim Gramacho, no município de Duque de Caxias. Um dos impactos disso foi o aterramento de manguezais e os danos à Baía de Guanabara, que ainda recebe cerca de 90 toneladas de resíduos por dia. A maior parte é plástico.

A Companhia Municipal de Limpeza Urbana (Comlurb ) informou que “atualmente, o serviço de Coleta Seletiva está em 122 bairros do Rio. Todo o material coletado é entregue para 28 cooperativas de catadores que fazem a separação e comercialização dos produtos. O lixo reciclável garante assim trabalho e renda para os cooperativados e suas famílias. Atualmente, o recolhimento porta a porta é feito uma vez por semana, em dias alternados ao da coleta domiciliar. A população pode se informar sobre o dia e horário da coleta em cada rua no site www.rio.rj.gov.br/comlurb/coletaseletiva.

Advertisement

A Companhia ainda detalhou que “para que a cadeia da reciclagem obtenha êxito cada vez maior, é fundamental que os moradores participem desse processo, promovendo a separação do lixo em suas residências. Sem a participação da população, o serviço de coleta seletiva se torna improdutivo e caro”.

Ambientalistas estimam que o Brasil perde 120 bilhões de reais por ano por não reciclar todo o lixo produzido. Além da geração de empregos que a intensificação da atividade da reciclagem pode gerar. Em todo o país, produzimos 80 milhões de toneladas de lixo por ano e 3% é reciclado.

“Trabalhar com reciclagem me dignidade, para mim e minha família. A gente sabe da importância do nosso trabalho. A gente precisa ser mais valorizado e a reciclagem precisa ser feita por mais gente em mais lugares“, conta Nildo Almeida, que trabalha em bairros da Zona Oeste da cidade do Rio.

Compartilhe

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Dia da Reciclagem: Rio de Janeiro produz cerca de 10 mil toneladas de lixo por dia e menos de 2% é reciclado
Advertisement

2 COMENTÁRIOS

  1. Ola,desde 2012 participo do projeto da light (light recicla), ja zerei por meses minha conta de luz,com os residuos que produzo e dos amigos.O descarte correto e o consumo mais racional,fez uma mudanca radical em meus habitos.Reduzir,reutilizar e reciclar e o caminho correto.

  2. Certa vez fui à um supermercado de uma grande rede e levei minha própria embalagem (adquirida dias antes no próprio supermercado) para comprar azeitonas à granel. A atendente me disse que não poderia utilizar “a minha” embalagem, mas apenas “a deles”. Eu disse: “mas é a mesma embalagem, que vocês mesmos me deram dias atrás.” Ela insistiu e fui obrigado a levar as azeitonas em uma embalagem nova. Agora, eles colocam as azeitonas em sacolinhas plásticas (ainda não aceitam “a minha” embalagem”). Em outra ocasião, alguém da minha família chegou em casa com um panetone de marca. Curioso e atento que sou, percebi um fato interessante: o panetone vem envolto em um papel que gruda nele; vem também dentro de um saco plástico transparente e barulhento; tudo dentro de uma caixa de papel toda coloridinha; e transportado por uma sacola plástica do local onde foi comprado. Quatro tipos diferentes de embalagens, quando precisamos só da comida. As quatro vão para o lixo, mas certamente pagamos por elas.

    São exemplos bem simbólicos do quanto nós AMAMOS produzir lixo e descartá-lo por aí. Sentimos um certo prazer incontrolável de ver cidade toda coberta por lixo, pois pouquíssimos de nós fazem um verdadeiro esforço para manter a cidade limpa. É como se o lixo fizesse parte da paisagem e da cultura. Não vejo nos empresários a iniciativa de reduzir embalagens, até para diminuir gastos. Entramos em uma espécie de modo automático de fazer as coisas, sem qualquer reflexão sobre os impactos negativos.

    Alguém aqui alguma vez gasta tempo para pensar em como pode reduzir o lixo que produz e como manejá-lo melhor? Talvez 10 pessoas em cada um milhão. É pouquíssimo!

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui