Dia do Cinema Brasileiro: confira 20 filmes nacionais que têm o Rio de Janeiro como cenário

No Dia do Cinema Brasileiro, o DIÁRIO DO RIO lista 20 filmes nacionais que têm total contexto com o Rio de Janeiro

Vitória Frate e Thiago Martins estrelando ''Era Uma Vez...'', que retrata mundos bem diferentes numa mesma Zona Sul carioca - Foto: Reprodução/Internet

Nesta domingo, 19 de junho, comemora-se o Dia do Cinema Brasileiro. Para celebrar a data, o DIÁRIO DO RIO traz para você 20 sugestões de filmes nacionais que têm total contexto com o Rio de Janeiro. Confira, em ordem alfabética.

1: Alemão (2014)

Em novembro de 2010, os policiais Branco (Milhem Cortaz), Carlinhos (Marcello Melo Jr.), Danilo (Gabriel Braga Nunes), Doca (Otávio Müller) e Samuel (Caio Blat) atuam infiltrados no Complexo do Alemão, uma área que reúne diversas favelas e é considerada um dos locais mais perigosos do Rio de Janeiro. Após serem desmascarados pelos traficantes, eles agora estão presos e aguardam que sejam executados ou, se tiverem sorte, resgatados pelas forças policiais, o que significaria na divulgação de uma missão clandestina realizada pela Polícia Militar para conseguir tomar a comunidade chefiada pelo poderoso Playboy (Cauã Reymond).

2: Casa Grande (2015)

Integrando a alta burguesia carioca, Hugo (Marcello Novaes) e Sônia (Suzana Pires), marido e mulher, vivem uma vida amplamente confortável em sua mansão no Rio de Janeiro. Aos poucos, acabam indo à falência, mas ninguém sabe de seus problemas financeiros, nem mesmo o filho Jean (Thales Cavalcanti), que faz de tudo para se desvencilhar dos pais superprotetores. Para se manter, o casal acaba precisando cortar despesas e o garoto, que só se preocupava com meninas e vestibular, enfrenta pela primeira vez uma nova realidade.

3: Cazuza – O Tempo Não Para (2004)

A ”vida louca” que marcou a trajetória profissional e pessoal de Cazuza (Daniel de Oliveira), desde o início de sua carreira, em 1981, até a morte, em 1990, aos 32 anos. O filme retrata o sucesso com o Barão Vermelho, a carreira solo, as músicas que falavam dos anseios de uma geração que curtiu intensamente sua juventude, o comportamento transgressor e a coragem de seguir compondo e se apresentando, mesmo debilitado pela Aids. Tudo isso em meio à intensidade da boemia carioca dos anos 80.

4: Central do Brasil (1998)

Dora (Fernanda Montenegro) trabalha escrevendo cartas para analfabetos na Central do Brasil, um dos cartões-postais do Centro do Rio de Janeiro. Ainda que a escrivã não envie todas as cartas que escreve – as que considera inúteis ou fantasiosas demais acaba descartando -, ela decide ajudar um menino, Josué (Vinícius de Oliveira), após sua mãe morrer atropelada, a tentar encontrar o pai que nunca conheceu, no interior do Nordeste.

5: Cidade de Deus (2002)

Buscapé (Alexandre Rodrigues) é um jovem pobre, negro e muito sensível, que cresce em um universo de muita violência. O rapaz vive na Cidade de Deus, favela carioca localizada na Zona Oeste e conhecida por ser um dos locais mais violentos da cidade. Amedrontado com a possibilidade de acabar se tornando bandido, Buscapé vê na fotografia uma oportunidade de salvar seu próprio destino. É através de seu olhar atrás da câmera que o jovem analisa o cotidiano da comunidade onde vive, onde a violência aparenta ser infinita, principalmente devido à grande rivalidade entre as gangues de Zé Pequeno (Leandro Firmino) e Cenoura (Matheus Nachtergaele), que acaba ganhando a ajuda de Mané Galinha (Seu Jorge).

6: Cidade dos Homens (2007)

Praticamente inseparáveis, os amigos Laranjinha (Darlan Cunha) e Acerola (Douglas Silva) cresceram juntos em uma favela da Zona Sul do Rio de Janeiro e agora atingiram a maioridade. Enquanto Acerola tem um filho de 2 anos para cuidar mas acaba se sentindo preso pelo casamento e pela paternidade precoce, Laranjinha está decidido a encontrar seu próprio pai, o qual nunca conheceu. Paralelamente, o Morro da Sinuca (nome fictício), onde moraram a vida inteira, é sacudido pelo mundo do tráfico, já que Madrugadão (Jonathan Haagensen), primo de Laranjinha, perdeu o posto de dono do tráfico de drogas local para Nefasto (Eduardo BR), seu antigo aliado.

7: E aí… Comeu? (2012)

Recém separado, o arquiteto Fernando (Bruno Mazzeo) ainda ama Vitória (Tainá Müller) e não se conforma com o término de seu casamento. Enquanto isso, seu amigo Honório (Marcos Palmeira), um jornalista metido a ”machão”, embora ainda tenha uma esposa, Leila (Dira Paes), também vê seu matrimônio ruindo e não para de desconfiar que está sendo traído. Fechando o trio, Afonsinho (Emilio Orciollo Netto), um solteirão playboy que sonha em fazer sucesso como escritor, tira onda de intelectual e se relaciona com prostitutas. Juntos, os 3 amigos vão debater e descobrir, em clima de papo em mesa de bar na Zona Sul do Rio de Janeiro, qual é o papel deles nesse mundo povoado por mulheres, sejam elas interesses amorosos ou não.

8: Era Uma Vez… (2008)

(Thiago Martins) mora no Cantagalo, conhecida favela da Zona Sul do Rio de Janeiro. Filho da empregada doméstica Bernadete (Cyria Coentro) e abandonado pelo pai, o rapaz viu seu irmão Beto (Fernando Brito) ser assassinado por um traficante e seu outro irmão, Carlão (Rocco Pitanga), ser exilado da comunidade pelos bandidos. Decidido a não seguir o caminho do crime, Dé trabalha vendendo cachorro-quente num quiosque na Praia de Ipanema. De lá, ele observa Nina (Vitória Frate), filha única de uma família rica que mora na ilustre Avenida Vieira Souto, em frente à praia. Os 2 acabam se conhecendo e se apaixonando, mas as gritantes diferenças entre seus mundos geram diversas críticas e preconceitos, atrapalhando a relação.

9: Meu Nome Não é Johnny (2008)

João Guilherme Estrella (Selton Mello) nasceu em uma família de classe média do Rio de Janeiro. Filho de um diretor do extinto Banco Nacional, ele cresceu no Jardim Botânico, na Zona Sul, e frequentou os melhores colégios, tendo amigos entre as famílias mais influentes da cidade. Carismático e popular, João viveu intensamente os anos 80 e 90. Neste período, acabou conhecendo o mundo das drogas, mesmo sem jamais pisar numa favela. Logo tornou-se o maior traficante de drogas do Rio – embora gastasse tudo o que ganhava em farra e mais drogas para consumo próprio -, sendo preso em 1995. A partir de então, passou a frequentar o cotidiano do sistema carcerário brasileiro.

10: Mormaço (2019)

Ana (Mariana Provenzzano) é uma defensora pública que trabalha contra a remoção da Vila Autódromo, comunidade da Zona Oeste do Rio de Janeiro a qual a Prefeitura deseja riscar do mapa em virtude das instalações esportivas que serão utilizadas nas Olimpíadas de 2016. Mesmo correndo risco de perder sua casa por conta da especulação imobiliária que assola a cidade, Ana, cada vez mais cansada por conta do clima e da árdua luta, repentinamente descobre que marcas misteriosas estão surgindo em seu corpo.

11: O Crime da Gávea (2017)

Um certo dia, Paulo (Ricardo Duque) chega em sua casa, na Gávea, Zona Sul do Rio, e encontra sua esposa assassinada. A filha do casal, de 3 anos, está ao lado do cadáver, sem nenhum tipo de lesão. Enquanto a polícia investiga o crime, Paulo dá início à sua própria busca pelo culpado, entrando em uma série de suspenses e mistérios.

12: O Homem Nu (1996)

Sílvio Proença (Cláudio Marzo), um pesquisador de 45 anos, precisa embarcar a contragosto para São Paulo, a fim de divulgar seu novo livro, sobre o folclore brasileiro. No aeroporto, encontra um grupo de velhos companheiros de música e copo, com quem participa de uma reunião regada à música e cerveja. Com o embarque cancelado devido a uma forte tempestade, o grupo segue para o apartamento de Marialva (Isabel Fillardis), filha de um dos amigos de Proença, onde o grupo dá continuidade à reunião. Seduzido pela música e pelos encantos de Marialva, Proença passa a noite ali mesmo, onde acorda, no dia seguinte, completamente nu, com Marialva ao seu lado. Ainda zonzo por conta da ressaca, Sílvio se levanta e vai apanhar o pão deixado na porta do apartamento, quando uma lufada de vento fecha a porta e deixa o pesquisador completamente nu do lado de fora. Com Marialva no banho e sem ouvir seus apelos, tem início então uma louca fuga pelo Rio de Janeiro, onde Proença será perseguido por jornalistas e curiosos até que consiga chegar em sua casa são e salvo.

13: Orfeu (1999)

Orfeu (Toni Garrido) é um popular compositor de uma escola de samba carioca. Residente de uma favela da Zona Sul do Rio de Janeiro, ele se apaixona perdidamente por Eurídice (Patrícia França), uma bela e tímida mulher que acaba de se mudar para o local. Mas entre eles existe ainda Lucinho (Murilo Benício), chefe do tráfico local, que irá modificar drasticamente a vida de ambos.

14: Ponte Aérea (2015)

Um voo do Rio de Janeiro para São Paulo tem seu curso desviado para Belo Horizonte, devido à intensa chuva que assola a capital paulista naquela noite. Diante do imprevisto, os passageiros são hospedados em um hotel para que, na manhã seguinte, sigam para SP. Entre eles estão o carioca Bruno (Caio Blat) e a paulistana Amanda (Letícia Colin), que se conhecem no hotel. Após um rápido flerte, eles dormem juntos mas acabam se desencontrando ao amanhecer, já que Bruno pega um voo logo cedo. Já em São Paulo, ele a procura bem no dia em que ela é promovida na agência de publicidade em que trabalha. Aos poucos, o sentimento entre os 2 se intensifica, mesmo que tenham que lidar com as dificuldades dos mais de 400km de distância entre as cidades que vivem.

15: Rio, Zona Norte (1958)

Espírito da Luz (Grande Otelo), um talentoso carioca compositor de sambas, tenta vender suas músicas e fazer sucesso no Brasil, mas acaba enganado por oportunistas e se vê preso nos esquemas da indústria fonográfica. Inconsciente após um acidente de trem, ele relembra passagens de sua vida e carreira, baseada num bairro da Zona Norte do Rio de Janeiro.

16: Trash – A Esperança Vem do Lixo (2014)

Gardo (Eduardo Luís) e Raphael (Rickson Tevez) são garotos que vivem em um lixão no Rio de Janeiro e sempre buscam algo valioso entre os restos despejados no local todo dia. Um dia, Raphael encontra uma carteira com uma boa quantia em dinheiro e a divide com o amigo. Entretanto, logo surge o policial Frederico (Selton Mello), que está justamente procurando a tal carteira a mando de Santos (Stepan Nercessian), um candidato a prefeito. Os garotos não revelam que a encontraram e pedem ajuda a Rato (Gabriel Weinstein), também morador do lixão, para que possam descobrir o que ela tem de tão importante. É quando percebem que, através de uma chave, embarcarão em uma verdadeira caça ao tesouro.

17: Tropa de Elite (2007)

O dia a dia do grupo de agentes que formam o Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) no Rio de Janeiro e de Roberto Nascimento (Wagner Moura), um capitão que quer deixar a corporação e tenta encontrar um substituto para seu posto. Paralelamente, os amigos Neto (Caio Junqueira) e Matias (André Ramiro), se tornam policiais e se destacam pela honestidade e honra ao realizar suas funções, se indignando com a corrupção existente no batalhão em que atuam.

18: Tropa de Elite 2 – O Inimigo Agora é Outro (2010)

Nascimento (Wagner Moura), agora coronel, foi afastado do Bope devido a uma operação policial mal sucedida em um presídio. Desta forma, ele vai parar na inteligência da Secretaria Estadual de Segurança Pública do RJ. Contudo, ele descobre que o sistema que tanto combate é mais podre do que imagina e que o buraco é bem mais embaixo. Seus problemas só aumentam, porque o filho, Rafael (Pedro Van Held), tornou-se adolescente, Rosane (Maria Ribeiro) não é mais sua esposa e seu arqui-inimigo ideológico, Fraga (Irandhir Santos), ”tomou” seu lugar em sua família.

19: Última Parada – 174 (2008)

A história, desde a infância morando nas ruas do Centro do Rio e sendo um dos sobreviventes da Chacina da Candelária, em 1993, de Sandro Barbosa do Nascimento (Michel Gomes), que, no dia 12 de junho de 2000, fez reféns dentro de um ônibus da extinta linha 174 (Central-Gávea), na Rua Jardim Botânico, e transformou o sequestro num dos mais famosos – e trágicos – da história do país. Paralelamente, o filme também retrata a busca de Marisa (Cris Vianna) por seu filho, Alessandro (Marcello Melo Jr.), tirado de seus braços quando ainda era bebê, pelo chefe do tráfico de uma favela carioca.

20: Vai que Cola – O Filme (2015)

Após ser vítima de um golpe que roubou todo seu dinheiro, Valdomiro (Paulo Gustavo) se muda para a pensão da Dona Jô (Catarina Abdalla) no Méier, bairro da Zona Norte do Rio de Janeiro, onde pretende escapar da polícia. Para sobreviver, ele passa a vender quentinhas pelas redondezas. A situação muda mais uma vez quando Andrade (Márcio Kieling), seu ex-sócio, consegue fazer com que Valdomiro recupere sua cobertura na renomada Avenida Delfim Moreira, de frente para a Praia do Leblon, na Zona Sul carioca. Só há um ”pequeno” problema: como a pensão foi interditada pela Defesa Civil, Dona Jô e os demais moradores também se mudam para a cobertura de Valdomiro.

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui