Durante visita à Baixada Fluminense, Rodrigo Neves critica a SuperVia e promete VLT, de Santa Rita à Pavuna

“Vamos acabar com essa pouca vergonha da Supervia com a população da Baixada", disse Neves durante discurso

Rodrigo Neves em carreata pela Baixada Fluminense / Foto: Alex Ramos

Nova Iguaçu, município da Baixada Fluminense, foi o palco de uma carreata realizada, na manhã desta quarta-feira (14), pelo candidato ao Governo do Estado do Rio de Janeiro, Rodrigo Neves (PDT). Durante a sua passagem pela cidade, Neves conversou com a população local e simpatizantes aos quais prometeu melhorar o sistema de trens urbanos e criar um VLT ligando Santa Rita, em Nova Iguaçu à Pavuna, na Zona Norte do Rio.

Durante um discurso, Rodrigo Neves prometeu ainda retomar as atividades ferroviárias de todos os ramais que atendem a Baixada Fluminense, de forma que o trabalhador tenha um transporte de massa de qualidade. Ele qualificou a atual situação do modal ferroviário fluminense como “pouca vergonha da Supervia”.

“Vamos acabar com essa pouca vergonha da Supervia com a população da Baixada. Vamos retornar todos os trens expressos em todos os ramais, para que o trabalhador da Baixada possa ter um transporte de qualidade. E vamos fazer o VLT, um transporte moderno, de Santa Rita até a Pavuna”, disse Rodrigo Neves.

A região da Baixada é conhecida pela precariedade em seu saneamento básico, ponto crítico que Neves destacou, prometendo estruturar frentes de trabalho para debelar tamanha carência e, por tabela, gerar empregos na região.

“Vou criar frentes de trabalho, logo a partir do ano que vem. Estudei muito isso na Baixada, com os melhores especialistas em saneamento. Vamos gerar 150 mil empregos para operários, com carteira assinada, e vamos levar água e esgoto tratado para todos os bairros da Baixada,” prometeu o candidato do PDT.

Rodrigo Neves também esteve em Belford Roxo, também na Baixada Fluminense, onde caminhou pelo calçadão do comércio, no Centro, e ao lado da estação de trem.

Advertisement

2 COMENTÁRIOS

  1. creio que uma solução necessária, para o rio, seja o metrô. se não for pra baixo da terra, não tem transporte que dê jeito. custa muito mais, mas torna-se mais barato com o tempo. mas não é esse pequeno metrô, mas “uns” maior, que cruze o rio de cabo a rabo.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui