Ediel Ribeiro: A TV Bozo

'Governo Bolsonaro quer lançar telejornal com apenas “boas notícias” na TV aberta'

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp

O presidente Bolsonaro tem aparecido tanto na televisão que as emissoras estão preocupadas com os pedidos do presidente para se dirigir ao povo brasileiro.

Primeiro porque é caro e depois porque as pessoas ficam sem saber se acreditam ou não no horário da TV.

Ainda assim, o presidente acha que é pouco. Crítico contumaz da imprensa, o presidente acha que a televisão tem noticiado muita coisa negativa a respeito do seu governo.

Para minimizar o problema, o governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) pretende criar um telejornal para veicular apenas “boas notícias”, do seu governo na grade da TV Brasil.

Advertisement

Bolsonaro que por diversas vezes criticou a cobertura jornalística feita pelos jornais e a TV, especialmente em relação à pandemia da Covid-19, que se aproxima da triste marca de 500 mil vítimas quer mudar essa imagem.

A criação do programa, conduzida pelo ministro das Comunicações Fábio Faria, que pretende combater “narrativas erradas” da TV aberta já está em fase final.

– Como vai se chamar o programa? – quis saber o presidente.

– Que tal batizar o programa de “O Mundo Maravilhoso de Bolsonaro”? –

sugeriu Fábio Faria.

– “O Show do Bolsonaro”, o que vocês acham? – sugeriu um assessor.

– Eu prefiro “No cercadinho com Bolsonaro” – opinou outro.

O presidente não concordou com nenhum dos nomes. Não quero meu nome no programa, talkey? O Silvio Santos já fez isso.

– Que tal “Bom de Ver”? – disse a moça do cafezinho.

– Gostei. Agora precisamos encontrar alguém para apresentar o programa.

– Que tal o Sikêra Júnior? – sugeriu Fábio Faria.

– Não. Tem que ser alguém bonito e carismático como o William Bonner – disse a moça do cafezinho.

– Que tal o Faustão? Ele está desempregado – sugeriu alguém.

– O “Centrão” não abre mão de indicar o redator e o apresentador, presidente. – disse o ministro da Economia.

Outra discussão foi quanto ao patrocinador. Uma marca de comida para cachorro se interessou em patrocinar, mas a assessoria do presidente achou que não era uma boa ideia.

– Tenho um amigo que fabrica cloroquina – sugeriu o presidente.

– Pode pegar mal, presidente – disse Fábio Faria.

– Vou falar com o véio da Havan – sugeriu Eduardo Bolsonaro.

– Bom, vamos discutir a pauta. Quero que o programa só veicule as boas notícias do meu governo. Qual a notícia mais relevante do dia? Temos que começar com uma notícia “bombástica”, talkey? – sugeriu o presidente.

– Quantos minutos terá o programa, presidente? – quis saber o secretário de comunicação.

– Minutos!!? Serão duas horas de programa – enfatizou o presidente.

– Mas, presidente, onde nós vamos arranjar duas horas de boas notícias por mês?

– Mês? Quem falou em mensal? O programa será diário! Peguem as notícias dos jornais, da TV, do rádio…

– Presidente, as principais notícia do dia são: “Brasil atinge marca trágica de 500 mil mortes pela Covid-19”; “País contabiliza em 2021 mais que o dobro de mortes de 2020”; Sobe o gás de cozinha, a luz e a gasolina”; “Milhares de pessoas voltam às ruas em todos os estados e no DF em manifestações contra Bolsonaro e pela vacina”…

– Não tem nem uma boa notícia do meu governo? E aquela ponte que eu inaugurei no Amazonas?

– Era uma “pontezinha” de madeira de 18 metros, presidente – disse o ministro da infraestrutura Tarcísio de Freitas.

– E a transposição das águas do Rio São Francisco?

– Foi o Lula que fez 94% da obra.

– E a BR-163?

– 93% foi paga pelo governo do PT.

– E a Ferrovia Oeste-Leste?

– 89% foi paga pelo governo do PT.

– E a BR 116 (trecho Porto Alegre-Pelotas)?

– 86% foi paga pelo governo do PT.

– E o “Minha Casa Verde e Amarela”?

– Era o “Minha Casa Minha Vida”, do Lula.

– E o auxílio emergencial de 600 reais?

– Foram os congressistas que deram, o senhor queria dar só 200 reais, lembra?

– E o “Renda Brasil”?

– Era o “Bolsa Família”, do Lula.

– E a privatização da Eletrobrás?

– Os “jabutis” colocados lá pelo “Centrão” vão prejudicar o meio ambiente e onerar os consumidores de energia por décadas. Não é bom nem comentar – avisou o secretário.

– O que vamos anunciar na estréia do programa? – perguntou o presidente.

– Ou esperamos por uma boa notícia ou mudamos o nome do programa para “Programa do Bozo” – sugeriu um assessor.

– Parece um programa infantil.

– E daí? Ninguém vai acreditar nas notícias mesmo.

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Ediel Ribeiro: A TV Bozo
Advertisement
lapa dos mercadores 2024 Ediel Ribeiro: A TV Bozo
Avatar photo
Jornalista, cartunista, poeta e escritor carioca. É colunista dos jornais O Dia (RJ) e O Folha de Minas (MG) e Diário do Rio (RJ) Autor do livro “Parem as Máquinas! - histórias de cartunistas e seus botecos”. Co-autor (junto com Sheila Ferreira) dos romances "Sonhos são Azuis" e “Entre Sonhos e Girassóis”. É também autor da tira de humor ácido "Patty & Fatty", publicadas nos jornais "Expresso" (RJ) e "O Municipal" (RJ), desde 2003, e criador e editor dos jornais de humor "Cartoon" e "Hic!"
Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui