Ediel Ribeiro: Poesia para você

Colunista do DIÁRIO DO RIO esmiúça o livro “Pra Você”, mais recente publicação da poeta e escritora Sheila Ferreira

Algumas pessoas já receberam uma poesia de presente, claro. Mas, poucas receberam um livro inteiro de poesias. 

Agora, todos receberam. 

A poeta Sheila Ferreira escreveu o livro “Pra Você”.

“Pra Você” (Kuno Editorial – 86 páginas) é o mais novo livro da poeta e escritora Sheila Ferreira. O livro, escrito de forma simples e sensual ‘traz poesias que revereciam a força vital da natureza e do sexo’. É uma coletânea de poemas escritos e selecionados pela poeta durante sua trajetória nas letras, em especial, durante a pandemia.

A maneira como a autora organizou o livro, dividindo-o em temas, faz da obra uma viagem entre o sonho e a realidade da autora, um verdadeiro mapa da sensibilidade da poeta, de sua história e da beleza da poesia. Parafraseando Malala, Sheila certamente diria: “Conto minha história em versos, não porque ela é única, mas porque não é”.

Para tornar esta coletânea algo especial, Sheila mergulhou no sagrado feminino do ‘Círculo de Maria’ e nos segredos do universo escondidos na natureza, na paixão e nas fases da lua. “Pra Você” foi escrito para mulheres fortes; para a ‘Maria’ que existe em você. Para várias ‘Marias’.

Sheila é uma poeta atemporal. A poesia está entranhada nela. Na poeta e na leitora. Como escreveu no início de seu livro: “Há momentos em que preciso da poesia para não morrer sufocada. Então, escrevo. Em outros, preciso da poesia para preencher meu coração. Então, leio.”

A poesia de “Pra Você” é uma viagem ao sagrado feminino. Uma ode de amor e respeito a natureza e, acima de tudo, uma reverência ao sol, à lua, a chuva, a mãe terra, as estrelas e ao sexo.

A partir da página 48, o leitor mergulha, junto com a autora, num mundo de sonhos, sexo, luxuria, tesão e amor louco. A poeta gasta versos lúdicos e brutais para derramar com tinta forte versos de paixão ao amado e ao amor. 

Sheila é escritora e poeta. Participou de várias antologias poéticas, entre elas: “Nós Contamos – fragmentos de sentimentos”; “Nós Contamos – fragmentos em ebulição”; “Sonhei Que…” e “Pandemia em Versos”. É autora do livro “Aprendendo a Viver” e co-autora, junto com Ediel Ribeiro, dos romances “Sonhos São Azuis” e “Sobre Sonhos e Girassóis”. 

A autora é uma poeta sensível e neural. Sua poesia é capaz de tocar, de forma especial, as estrelas e as pessoas. Seus versos, simples e diretos, não carecem de rima ou métrica. Possui o inegável talento e o dom da clarividência que permite ao poeta enxergar o mundo de uma forma real e lúdica. Essa espécie de bênção que os deuses dão apenas aos poetas. E só aos poetas.

Entre os poemas, destaca-se o tesão solitário de “Mãos”:

“Deitada, sozinha,

Desejo sua voz para guiar minhas mãos.

Desejo suas palavras lascivas,

Sua voz rouca e macia, neste sotaque sedutor.

Deitada, sozinha,

Só me resta o desejo e as lembranças carnais.

Minhas mãos, sozinhas

Percorrem o meu corpo quente

E presenteia com prazer

Meu corpo desvalido.

Jornalista, cartunista, poeta e escritor carioca. É colunista dos jornais O Dia (RJ) e O Folha de Minas (MG) e Diário do Rio (RJ) Autor do livro “Parem as Máquinas! - histórias de cartunistas e seus botecos”. Co-autor (junto com Sheila Ferreira) dos romances "Sonhos são Azuis" e “Entre Sonhos e Girassóis”. É também autor da tira de humor ácido "Patty & Fatty", publicadas nos jornais "Expresso" (RJ) e "O Municipal" (RJ), desde 2003, e criador e editor dos jornais de humor "Cartoon" e "Hic!"
Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui