Ediel Ribeiro: Sampaoli Perdidão

Os torcedores do Flamengo, aparentemente, terão mais motivos para lamentar o final de ano do que o especial do Roberto Carlos

Os torcedores do Flamengo, aparentemente, terão mais motivos para lamentar o final de ano do que o especial do Roberto Carlos.

Sampaoli está mais perdido que daltônico montando cubo mágico.

Perdidão, o dublê de treinador e maratonista, não consegue se acertar, embaralhando a cabeça dos jogadores com mexidas inexplicáveis. Contra o Coritiba, Sampaoli mudou o time pela trigésima segunda vez, em 32 partidas.

Mas, ontem, o time venceu o fraquíssimo Coritiba por 3 a 2, apesar do Sampaoli.

O time continua entre os quatro primeiros no campeonato. Tem um dos melhores ataques da competição. Mas a defesa continua igual ao Uber Eats: entrega tudo.

O troncudo treinador demorou a perceber que errou escalando o veterano Filipe Luís no lugar do veloz Ayrton Lucas e o ainda inexperiente, Victor Hugo, no lugar do inteligente e criativo Everton Ribeiro.

Filipe Luís é craque, e ainda é útil ao time, mas não na lateral, correndo atrás de garotos. O lance do pênalti é prova disso: o lateral perdeu na corrida para o veloz e arisco Robson, atacante do Coritiba, e teve que cometer o pênalti que resultou no primeiro gol do time de Curitiba.

Mesmo com 300 volantes, o time de Sampaoli é um dos mais vazados na temporada de 2023. O Flamengo, com 60 gols sofridos em 55 jogos, só não tomou mais gols que o América-MG.
Candidatíssimo ao rebaixamento no Brasileirão.

Na partida de ontem, precisando desesperadamente de um gol, Sampaoli demorou a mexer no time. Para piorar, trocou Gabigol por Luiz Araújo que jogava longe do gol. Pedro, um dos artilheiros do time, só entrou em campo aos 36 minutos do segundo tempo. E, pasmem, ele tirou o Bruno Henrique, o melhor em campo.

Deu sorte. Gerson acertou um belo chute aos 49 minutos do segundo tempo, deixando vivo o sonho – improvável – do título.

Sampaoli está desnorteado. E, pior, apesar dos erros gritantes, ele faz discurso ilusório de que está tudo bem e no fim todos serão felizes para sempre. Mas a torcida não é burra e cobra mudanças já, pedindo, inclusive, a volta de Dorival Júnior.

A galera cansou de ver o Flamengo, com o time milionário que tem, fora das grandes competições. O time rubro-negro já deixou de ganhar sete títulos nesta temporada. Foi assim na Taça Guanabara, no Campeonato Carioca, na Supercopa do Brasil, no Mundial de Clubes, na Recopa Sul-Americana e na Libertadores. Restam só a Copa do Brasil e o improvável Campeonato Brasileiro

Depois da “proeza” de perder a Libertadores, no Maracanã, de virada, para o fraquíssimo Olímpia, resta ao Jorge Sampaoli ganhar a Copa do Brasil, contra o São Paulo nos próximos dias 17 e 24 de setembro. Se perder de novo, nada salvará seu cargo.

Os torcedores não aguentam mais tanta gozação. Chega de cheirinho!

Já deu!!!

Avatar photo
Jornalista, cartunista, poeta e escritor carioca. É colunista dos jornais O Dia (RJ) e O Folha de Minas (MG) e Diário do Rio (RJ) Autor do livro “Parem as Máquinas! - histórias de cartunistas e seus botecos”. Co-autor (junto com Sheila Ferreira) dos romances "Sonhos são Azuis" e “Entre Sonhos e Girassóis”. É também autor da tira de humor ácido "Patty & Fatty", publicadas nos jornais "Expresso" (RJ) e "O Municipal" (RJ), desde 2003, e criador e editor dos jornais de humor "Cartoon" e "Hic!"
Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui