Em ataque de fúria, mendiga do Humaitá persegue 3 pessoas no Largo dos Leões

Pessoas são perseguidas pela mulher, que aparentava estar transtornada. A ação aconteceu à noite e foi filmada por câmeras de segurança da região

Alerta.Rio

Não é de hoje que o Diário do Rio vem denunciando o risco que os moradores do Humaitá, na Zona Sul do Rio de Janeiro, estão correndo com as ações violentas de uma moradora de rua do bairro.

Em sua conta no Instagram, o Alerta.Rio divulgou um vídeo, na madrugada desta quarta-feira (19), no qual três pessoas correm em pânico pelo Largo dos Leões, sentido Jardim Botânico, fugindo do ataque de uma mendiga que age na região há tempos.

A mulher, que parece sofrer de transtornos mentais, não consegue alcançar as pessoas vistas nas imagens. Ainda assim, ela pega uma grande pedra arremessando-a a esmo.

Em seguida, ela toma o caminho contrário ao fluxo do tráfego pelo meio da rua, impondo risco de acidentes aos condutores que por ali passavam.

A região onde as imagens foram captadas é bem movimentada. É caminho para a Cobal e para um pequeno parque localizado em frente onde o ataque aconteceu.

A perseguição aconteceu à noite. Mas, dependendo do horário, a ação da mendiga poderia ter ferido algum idoso ou criança, ou até mesmo, pacientes e visitantes do Instituto Estadual de Cardiologia Aloysio de Castro (IECAC), que fica na Rua Davi Campista.

Na internet vários moradores do Humaitá reclamaram da atuação da moradora de rua e da falta de atuação do poder público em relação à mulher, que claramente é violenta e incontrolável.

“Fui atacada pela senhora moradora de rua. Eu, uma senhora de 75 anos, estávamos com minha família e uma senhora aguardando o ônibus no ponto do Largo dos Leões. Ela saiu correndo do Lasai, atravessou a rua e pegou um vaso de planta e atirou em mim, atingindo e machucando meu pé. Ela tem que ser presa e retirada de convívio. Já liguei para a polícia e não tive resolução. Já sei mais como recorrer,” contou uma idosa na conta do Alerta.Rio.

Ao ver as imagens da perseguição uma internauta comentou: “Fui atacada com pedras e paralelepípedos pela mesma mulher, em plena tarde de dezembro passado. Sai correndo entre os carros na São Clemente e fui acudida pelo segurança da Escola Alemã Corcovado. Polícia, Bombeiros, Samu…. Ninguém me ajudou, não podiam fazer nada, foi que ouvi deles”.

Mas os ataques selvagens da mendiga do Humaitá podem ocasionar danos ainda mais sérios, como um acidente de trânsito com consequências imprevisíveis:

“Uma vez, essa mulher apedrejou o ônibus que eu estava. Ali mesmo, no Largo dos Leões. Nitidamente, ela tinha algum transtorno psiquiátrico,” contou outra usuária da rede.

O medo em relação a possíveis agressões perpetradas por moradores de rua foi manifestado por uma instagrammer, que afirmou se sentir preterida quanto aos cuidados de segurança dispensado à população de rua diante do cidadão comum.

“Eu corro de todos os moradores de rua desconhecidos. Não por preconceito, mas por saber que a lei protege as vítimas da sociedade. Quem é idôneo vai até para cadeia por ter feito nada,” queixou-se a mulher.

Uma outra internauta, ao comentar as imagens, destacou que Botafogo, bairro vizinho ao Humaitá, tem penado com as ações dos mendigos na região. Segundo ela, a presença dos moradores de rua é alimentada pelos próprios residentes do bairro, através da doação de alimentação e esmolas.

“Pois é. Mas está cheio de morador de rua, em Botafogo, porque os próprios moradores sustentam. Dão quentinha, esmola, até compras no mercado fazem. Meu carro dorme na rua, na frente do meu prédio na Real Grandeza. Essa semana quebraram meu vidro para brisas com uma faca. De manhã fui sair, estava lá quebrado com a faca em cima do capô,” denunciou a usuária do Instagram.

Pelas imagens, fica claro que a situação requer urgência e cuidados extremos, já que a mulher é reincidente em suas ações transloucadas contra a população. Além disso, por ser tratar, aparentemente, de uma pessoa com transtorno psiquiátrico, a mulher precisa ser tratada de maneira adequada, de forma a não representar um risco para si mesma e para a coletividade.    

   Mulher pega pedra para agredir as pessoas / Alerta.Rio

Advertisement

5 COMENTÁRIOS

  1. A PM sem comando firme policial tem que estar atento a tudo que ocorre na rua ganha pra isso e não pra ficar de laser no celular duvido que o comando da corporação não saiba disso fato que ocorre a anos.
    Blitz pra que serve?
    Ocasionar trânsito e atrapalhar a vida das pessoas e fazer o motorista gastar mais combustível
    Hoje em dia com a existência do celular e a Internet qualquer bandido ou procurado sabem aonde tem uma blitz

  2. Rio tá cheio de loucos na rua loucos naturais e os viciados normais e cracudos
    Em quanto isso a PM ficam nos seus carros com um policial dormindo e o outro no Zap quando todos estão no zap ou em uma roda de bate papo isso quando encontramos a polícia na rua que se encontra ausente na maioria dos lugares

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui