Em Brasília, governador do Rio apresenta proposta de combate à atuação de traficantes narcomilicianos

Cláudio se encontrou com José Múcio, Rodrigo Pacheco e Arthur Lira para falar sobre a grave crise de segurança público do Rio

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Divulgação

O governador Cláudio Castro (PL) participou de reuniões no Congresso Nacional, nesta quarta-feira (25/10), para a apresentação de cinco mudanças na legislação para otimizar o combate contra a atuação de traficantes e narcomilicianos no Rio de Janeiro e no Brasil. Pela manhã, Cláudio Castro se encontrou com o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG) e, no início da noite, com o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-MA). O governador do Rio entregou a Pacheco e a Lira as cinco propostas de combate à violência. No documento é sugerida ainda a criação de uma Comissão Mista para acelerar as discussões.

As propostas apresentadas por Castro pedem o fim da progressão de pena para criminosos pegos com armas de guerra; envolvidos com lavagem de dinheiro para milícias e narcomilícias; e que atuem em serviços concessionados. O documento também propõe tarifa social para concessionárias em áreas elegíveis e a criação de gabinetes estaduais contra a lavagem de dinheiro.

“Um dos braços para o combate à criminalidade com certeza é o Legislativo. O endurecimento das penas é fundamental para que possamos realmente desencorajar esses criminosos a cometerem crimes que nós consideramos terrorismo. Queimar ônibus, gerar terror na população é terrorismo”, explicou Castro, acrescentando que ele e a bancada fluminense podem percorrer o Brasil em busca de apoio político de todos os estados, caso necessário.

O govenador comentou ainda sobre as ações integradas desenvolvidas entre os governos federal e estadual, além do anúncio feito pelo secretário-executivo do Ministério da Justiça e Segurança Pública, Ricardo Cappelli, sobre a criação do Gabinete Integrado de Lavagem de Dinheiro, que será composto pelo próprio ministério, pela Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), Secretaria de Estado de Fazenda do Rio de Janeiro (SEFAZ ) e Polícia Civil fluminense.

Advertisement

“A atuação conjunta desses órgãos nos possibilitará saber de verdade quem está lavando dinheiro para o tráfico de drogas e para a milícia, enfim, para todas essas organizações criminosas”, disse Castro, acrescentando que a criação de gabinetes estaduais contra a lavagem de dinheiro garante a legitimidade das ação das forças policiais: “É fundamental para que a gente não tenha descontinuidade das investigações e esses inquéritos virem processos que levem à prisão e, assim, a gente possa fazer o verdadeiro combate”.

Presente ao encontro, o ministro da Defesa, José Múcio (PTB-PE), ouviu do governador o pedido de reforço das Forças Armadas para impedir a entrada de armas e drogas no território fluminense.

“A reunião foi muito proveitosa, e o ministro afirmou que o governo federal está se dedicando para atender aos nossos pedidos. Nos próximos dias, devo ser chamado para saber como a União vai ajudar. A integração das forças estaduais e federais será fundamental. Estamos construindo os pleitos juntos”, comemorou o chefe do Executivo fluminense.

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Em Brasília, governador do Rio apresenta proposta de combate à atuação de traficantes narcomilicianos
Advertisement

1 COMENTÁRIO

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui