Em dezembro, o projeto Música no Museu completa 25 anos, com apresentações em diversas cidades do mundo

O Música no Museu se tornou a maior série de música clássica do Brasil, tendo sido reconhecida pelo RankBrasil, a versão nacional do Guinness Book

A orquestra Camerata do Uerê - Reprodução do site

Iniciado em 1997, o programa Música no Museu está comemorando 25 anos de atividades. Como celebração está apresentando o Programa Música nos Palácios, que teve como destaque um concerto simultâneo realizado, no dia 3/12, no Palácio do Itamaraty, no Rio de Janeiro, e no Palácio de Versailles, na França.

Na ocasião, a Camerata Uerê, da Comunidade da Maré, tocou em conjunto com os musicistas franceses Dominique De-Williencourt, violoncelo; e Jean Ferrandis, flauta; em um concerto transmitido via satélite para as plateias brasileira e francesa.

No dia 1/12, o Música no Museu contou com uma apresentação da pianista brasileira Fernanda Canaud no Petit Palais Rothschild Prinz Eugen Strasse, em Viena, na Áustria.

O Música no Museu se tornou a maior série de música clássica do Brasil, tendo sido reconhecida pelo RankBrasil, a versão nacional do Guinness Book. O projeto atingiu números expressivos, tendo realizado mais de 500 concertos gratuitos anualmente em todo o território nacional, com a participação de aproximadamente 2 mil 500 músicos por ano.

Desde 2006, o Música no Museu, que leva músicos brasileiros para o exterior, está presente Lisboa, Portugal. As cidades de portuguesas de Coimbra, Santarem, Alcobaça, Aveiro e Porto já receberam músicos no âmbito do projeto, que participou das celebrações dos 725 anos da Universidade de Coimbra, além do aniversário de 730 da cidade, ocorridos em 2020. O sucesso do Música no Museu tem levado os seus músicos a diversos países mundo a fora. O público de cidades da Índia, Alemanha, Líbano, Eslovenia, República Tcheca, Marrocos, Austrália, Espanha, França, EUA, Argentina, Vietnã, Chile e Áustria tem prestigiado os gabaritados músicos brasileiros.

Até agora, mais de 1 milhão de pessoas assistiram às apresentações do Música no Museu, o que gerou uma mídia espontânea em inúmeros veículos de imprensa no Brasil e no exterior. O projeto já recebeu destaque em reportagens no New York Times, Le Monde de la Musique e na Revista TAP, distribuída nos voos internacionais, entre outros veículos.

Desde janeiro, o público brasileiro tem podido assistir às apresentações dos músicos do Sons do Brasil, projeto que prestigia a musicalidade das regiões Sudeste, Centro-Oeste, Sul, Norte e Nordeste.

O maior cravista brasileiro, Roberto de Regina, realizou em setembro, a sua despedida dos palcos, aos 95 anos de idades. Em outubro, a Academia Brasileira de Letras, no Rio de Janeiro, comemorou os 100 anos do dramaturgo Dias Gomes.

Com patrocínio da VIBRA ENERGIA e apoios do BTG-Pactual e Universidade Estácio de Sá está sendo realizado, desde novembro, o projeto Os Imortais da Música Brasileira e os Gênios Internacionais, que destaca a produção musical brasileira, além de prestigiar grandes nomes da música internacional.

Para encerrar 2022, será celebrada uma missa em Ação de Graças na Igreja Nossa Senhora da Ressurreição, em Copacabana. Após o evento, o público poderá assistir a uma apresentação do belíssimo coral Madrigal Cruz Lopes.

As informações são do site Zé Ronaldo.

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui