Em mais um passo histórico, Marinha forma 114 mulheres fuzileiras navais

Cerimônia de formatura aconteceu no Rio e contou com a participação de 546 homens. No curso de formação, a soldado Letícia Alves alcançou a 2ª posição geral entre homens e mulheres

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Em cerimônia histórica, No Rio de Janeiro, 114 mulheres se formam Soldados Fuzileiros Navais - Marinha do Brasil

Pioneira na abertura da participação das mulheres em sua a estrutura, a Marinha do Brasil (MB) deu mais passo de destaque em sua trajetória de 288 anos de serviços prestados ao País, com a formação das primeiras 114 mulheres soldados fuzileiros navais. A cerimônia de formatura aconteceu, na última na sexta-feira (5), no Rio de Janeiro, com a finalização do Curso de Formação de Soldados Fuzileiros Navais (C-FSD-FN), que teve a duração de 19 semanas e do qual participaram 546 homens.

A saldado Letícia Cristina Alves alcançou a segunda colocação geral entre mulheres e homens. Honrada em integrar o primeiro grupo de fuzileiras navais, a militar demonstrou grande felicidade em fazer parte dos quadros da Arma:

“É um orgulho gigantesco representar todas as 114 meninas que conseguiram se formar aqui”, afirmou Letícia, segundo o Diário do Porto.

Advertisement

O treinamento dos fuzileiros navais é intenso, exigindo alta resistência física e mental dos alunos durante os quatro meses de preparação, que envolve ainda muito estudo.

Muitas famílias ficam apreensivas com o destino dos filhos no processo de formação militar, a exemplo dos pais da fuzileira Letícia, Cristine de Souza Alves e Dailson Alves, que sentiram os rigores da ausência de convívio com a jovem:

“Ela ficou esse tempo todo longe de casa, mas a gente sempre acreditou. Mesmo sendo difícil para os pais, a gente faz um esforço, porque é o sonho da nossa filha e o sonho dela é o nosso. E hoje, estamos vivendo o sonho: a formação dela”, disseram os pais da soldado à Agência Marinha de Notícias.

Além dos exercícios de campo, a formação de um fuzileiro naval inclui o aprendizado teórico de disciplinas, como “Operações”, “Armamento e Tiro“ e “Instrução Básica de Combate“. A turma mista de fuzileiros participou de treinamentos no Complexo Naval Guandú Sapê e na Ilha da Marambaia.

Agora, os fuzileiros estão aptos para servir em Organizações Militares em qualquer região do Brasil. Com as 114 fuzileiras, as mulheres passam a integrar todos os quadros da Marinha, que, em 1980, criou o Corpo Auxiliar Feminino da Reserva.

Durante a década de 1990, a Arma realizou uma reestruturação que resultou na participação feminina em cargos de Direção, Comando e comissões. Em 2012, Dalva Maria Carvalho Mendes foi promovida a Contra-Almirante (Médica), sendo a primeira militar no Brasil a ostentar o título de oficial-general.

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Em mais um passo histórico, Marinha forma 114 mulheres fuzileiras navais
Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui