Em 9 meses, RJ apreendeu o maior número de fuzis dos últimos 16 anos

O número de fuzis apreendidos aumentou 27%, totalizando 487

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Imagem meramente ilustrativa de fuzil apreendido em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense - Foto: Divulgação

De janeiro a setembro deste ano, as forças estaduais de segurança retiraram das mãos de criminosos 4.980 armas de fogo. O número de fuzis apreendidos aumentou 27%, totalizando 487. Por dia, as polícias realizaram 103 prisões em flagrante e recuperaram, em média, 40 veículos roubados.

Os crimes contra o patrimônio, como roubo de carga, veículo e rua, continuaram em queda no estado do Rio de Janeiro. O roubo de carga caiu quase pela metade no nono mês do ano, foram 178 roubos em 2023 contra 348 no mesmo período em 2022, representando uma diminuição de 49% – este foi o menor número de casos para o mês nos últimos 24 anos. No acumulado do ano, a redução foi de 12%. Os roubos de veículo e de rua (roubo a transeunte, em coletivo e de aparelho celular) diminuíram, respectivamente, 22% e 20% no mês. Na análise da série histórica mensal, foram os menores valores para roubos de rua desde 2004 e para os roubos de veículos desde 2011.

Os indicadores de segurança mostram que estamos no caminho certo. Reduzimos os crimes contra a vida, contra o patrimônio e, somando os nove primeiros meses do ano, tivemos o maior número de fuzis apreendidos nos últimos 16 anos. Nossa política de segurança atua fortemente para prender lideranças e fazer uma asfixia financeira das organizações criminosas. As nossas polícias são competentes, preparadas e equipadas para isso“, afirma o governador Cláudio Castro.

No último mês, as mortes por intervenção de agente do Estado apresentaram queda de 57% em relação a setembro de 2022, o menor número de mortes dos últimos 11 anos. No acumulado do ano, o indicador também registrou resultados expressivos, com uma diminuição de 29%. Os crimes contra a vida (homicídio doloso, lesão corporal seguida de morte, roubo seguido de morte e morte por intervenção de agente do Estado) atingiram reduções de 8% no mês e 2% no acumulado. O indicador registrou o menor número de vítimas para o ano desde o início da série histórica, em 1991.

Advertisement
Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Em 9 meses, RJ apreendeu o maior número de fuzis dos últimos 16 anos
Advertisement

1 COMENTÁRIO

  1. Criaram um prêmio para policiais fazerem apreensão de cada fuzil, atuação esta (apreensão de instrumento do crime) que já na função…
    Não se cria prêmio para professores darem aula…
    Não se cria prêmios para médicos, enfermeiros, auxiliares no cuidado a paciente…

    Enquanto isso, cheio de estelionatários dando golpes em pessoas e outros crimes…

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui