Em Paris, vice-governador do RJ apresenta projeto de preservação ambiental e socioeconômica da Baía de Guanabara

Programa ''Guanabara Azul'' prevê um plano de ação, desenvolvido a partir de um estudo sobre as características e os potenciais da Região Metropolitana fluminense

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Thiago Pampolha em Paris - Foto: Divulgação/Governo do RJ

Em Paris, capital da França, o vice-governador e secretário do Ambiente, Thiago Pampolha, realizou, na última terça-feira (05/09), a primeira reunião de trabalho com a Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), após a adesão do estado do Rio de Janeiro ao programa ”Guanabara Azul”.

O acordo de cooperação viabilizará a implementação da economia azul, e prevê um plano de ação, desenvolvido a partir de um estudo sobre as características e os potenciais da Região Metropolitana fluminense.

O estudo incluirá avaliação socioeconômica, levando em consideração atividades ligadas à economia do mar, PIB, empregos e patentes, além de análises da segurança hídrica e dos ecossistemas locais.

O plano de ação estabelecerá metas de curto, médio e longo prazos, e distribuirá as funções com base nos princípios da OCDE sobre governança da água.

Advertisement

De acordo com Pampolha, o primeiro passo para participar da ação da OCDE já foi dado, com a assinatura do decreto do Guanabara Azul, na última semana.

”O programa contará com uma plataforma de monitoramento em tempo real, com estrutura para modelagens e simulações. O Guanabara Azul ainda prevê a criação do Centro Integrado de Gestão da Baía de Guanabara [CIG-BG], responsável pelo planejamento e coordenação de ações de recuperação. O centro vai, entre outras ações, viabilizar a integração na governança e sustentabilidade da Baía e captar e administrar recursos. A nossa meta é viabilizar o crescimento da economia azul, garantindo a preservação ambiental e a geração de emprego e renda”, ressaltou o vice-governador.

Universidade do Mar e Blue Rio

O Governo do Estado implantou também o ”Blue Rio”, o primeiro programa colaborativo de economia azul da América Latina, que busca startups que proponham soluções inovadoras para combater os entraves do setor. O hub já reúne empresas parceiras nacionais e internacionais como GALP, Oceanpact, Vibra Energia e Águas do Rio.

Outra ação é a Universidade do Mar. O programa de extensão da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) estimula atividades acadêmicas e técnicas para fortalecer ensino, pesquisa e inovação, promovendo o desenvolvimento sustentável da região costeira fluminense.

Potencial em números

O estado do Rio de Janeiro tem uma área litorânea de 636km de extensão. Cerca de 44% do PIB fluminense é composto da economia marítima, cujas principais atividades são navegação, turismo, geração de energia no mar (offshore) ou em costa, pesca, aquicultura e extração de petróleo e gás.

Nos últimos anos, o RJ foi o estado que alcançou o nível mais alto de oferta de emprego, mais de 400 mil postos de trabalho relacionados a atividades marinhas.

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Em Paris, vice-governador do RJ apresenta projeto de preservação ambiental e socioeconômica da Baía de Guanabara
Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui