Foto: Divulgação Universal Music

O Metallica sempre foi um dos nomes mais populares e controversos do Metal. A banda liderada Pelo vocalista James Hetfield e pelo baterista Lars Urich, iniciou sua carreira fazendo um Thrash Metal desenfreado e ao mesmo tempo extremante melódico que agradou muito os amantes da música pesada e a crítica especializada na década de 80.

Com o lançamento do aclamado Black Album, no início dos anos 90, muitos fãs “raiz” abandonaram o grupo sob a alegação de que a banda teria transformado seu som em algo mais pop e comercial, pura besteira.

Com o passar do tempo, o Metallica foi de distanciando do Thrash Metal que o consagrou e gravou uma série de álbuns mais “cadenciados”, digamos assim. Mas nunca sem perder a qualidade nas suas canções e composições. Nos últimos anos a banda tem dado diversos sinais de que está tentando reatar um namoro com o som mais pesado, e tem obtido sucesso nessa empreitada.

Com o lançamento do show S&M2, apresentação da banda com a icônica Orquestra Sinfônica de São Francisco, o Metallica mais uma vez crava definitivamente seu nome como a maior banda de heavy metal do mundo. O filme, que tem cerca de 2h30min de duração, estreia hoje (09/10) em mais de 3.000 salas de cinema espalhadas pelo mundo.

Metallica se apresentando ao lado da Orquestra Sinfônica de São Francisco – Vídeo: Divulgação Universal Music

Tocando pela segunda vez com orquestra, a primeira oportunidade foi em 1999, ou seja, há exatos 20 anos, o Metallica trás um espetáculo mais grandioso e épico em todos os sentidos. O setlist contempla músicas de todas as fases do grupo, e, é pensado justamente para as músicas que se encaixam melhor com os arranjos sinfônicos. Mas, evidentemente, os grandes sucessos que elevaram a banda de patamar estão lá. Canções como, “One“, “Nothing Else Matters“, “Enter Sandman” e “Masters of Puppets“pontuam a apresentação e não deixam o ritmo cair em nenhum momento.

Tudo no filme é muito bem documentado pelas muitas câmeras que registram takes espetaculares da orquestra, da banda e também do público, que dá um show a parte. São diversas bandeiras de vários países do mundo presentes na plateia. Em dado momento, o baterista Lars Urich aponta para as flâmulas e vai falando o nome das nacionalidades uma a uma, inclusive do Brasil. “Eu era muito bom de Geografia na escola”, se gabou o músico.

Foto: Divulgação Universal Music

A qualidade do som é outro destaque do show, tudo impecável, e a banda executando as músicas com maestria. O material ainda mostra imagens interessantes dos bastidores e da concepção do espetáculo e também campanhas de cunho social realizadas pela banda com a ajuda de membros de seu fã-clube.

O S&M2 é um produto muito bem pensado pela banda em parceria com os maestros da orquestra. É um presente de natal antecipado, não só para quem gosta de metal, mas também para os amantes da música em geral. Imperdível!

O DIÁRIO DO RIO assistiu ao S&M2 a convite da Universal Music.

1 COMENTÁRIO

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui