Empresa de Xuxa é condenada a pagar R$ 40 milhões a publicitário mineiro por plágio

Leonardo Soltz acionou a Justiça há 20 anos por apropriação indevida da imagem da “Turma do Cabralzinho”, personagens criados por ele para celebrar os 500 anos do Descobrimento do Brasil

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp

A Justiça do Rio condenou a empresa Xuxa Promoções e Produções, de propriedade da apresentadora Xuxa Meneghel, a pagar mais de R$ 40 milhões a Leonardo Soltz pelo plágio dos personagens de “A turma do Cabralzinho”. O publicitário mineiro acionou a Justiça há 20 anos alegando apropriação indevida da imagem dos personagens infantis criados por ele para celebrar os 500 anos do Descobrimento do Brasil. A decisão, que ainda é passível de recurso, foi homologada nesta quarta-feira (13).

O valor da indenização foi calculado depois de uma perícia, que tomou como base variantes, como: reprodução de imagens, tiragem da revista publicada e outros ganhos advindos do uso das personagens. À frente da defesa de Leonardo Soltz estão os renomados escritórios Sergio Bermudes Advogados e Weikersheimer e Castro. Lívia Ikeda, Ricardo Loretti e Antônio Ferraço foram advogados que venceram a causa contra Xuxa Meneguel.

A “Turma do Cabralzinho” foi criada em 1997, por Leonardo Soltz, para que fosse mascotes das celebrações dos 500 anos do Descobrimento do Brasil, no ano 2000. Segundo Leonardo, os personagens Cabralzinho, Bebel, Quim, Purri e Caramirim teriam sido copiados após uma reunião entre ele e uma representante da Xuxa Promoções e Produções, em 1998. Na ocasião, a viabilidade do projeto foi negada pela empresa que, no ano seguinte, atuou no mercado com criações semelhantes às da “Turma do Cabralzinho”.

Informações: O GLOBO

Advertisement
Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Empresa de Xuxa é condenada a pagar R$ 40 milhões a publicitário mineiro por plágio
Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui