Empresário chinês visita patrimônio cultural do Rio visando investimentos futuros

Empresário atua nos ramos de projetos culturais e imobiliários. Na cidade, Huang Nubo tem interesse no Cais do Valango e Sítio Roberto Burle Marx

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
O empresário Huang Nubo com o secretário Chicão Bulhões, Estrella Wang (tradutora) e Flávio Valle, no Copacabana Palace / Divulgação

A cidade do Rio de Janeiro foi um dos destinos do empresário chinês Huang Nubo, fundador do grupo Zhongkun, que atua nos ramos de projetos turísticos e imobiliários. Em visita ao Brasil, Nubo veio avaliar atrações classificadas como Patrimônios da Humanidade pela Unesco. Na cidade, o chinês manifestou interesse por atrações, como o Cais do Valongo, na região portuária, e o Sítio Roberto Burle Marx, na Zona Oeste, entre outras atrações.

Durante a sua estada na cidade, Huang Nubo se reuniu com  secretário de Desenvolvimento do Rio, Chicão Bulhões, e o economista e ex-subprefeito da Zona Sul, Flávio Valle, no Hotel Copacabana Palace, na Zona Sul da cidade. Na reunião, o empresário chinês pediu às autoridades que melhorassem a identificação dos patrimônios culturais locais. Pedido que Bulhões e Valle prometeram cumprir. Ao final do encontro, Nubo garantiu a Chicão Bulhões apoio para que a cidade ganhe um voo direto conectando o aeroporto RIOgaleão à China. Na agenda do empresário, ainda constavam visitas à Parati e à Ilha Grande, para a avaliação do patrimônio misto das duas cidades.

A viagem de Nubo pelo Brasil prevê uma visita a 14 dos 23 sítios classificados como Patrimônio da Humanidade – entre culturais, naturais e mistos. Do Rio, Huang visitaria os monumentos de Oscar Niemeyer, em Brasília. A previsão é de que ele fique no País até o dia 16. Até lá, o chinês avaliará centros históricos de Olinda, Salvador, Goiânia, São Luís e Aracaju, além da Praça São Francisco, em São Cristóvão (SE).

Advertisement

Minas Geris será a próxima parada, com o empresário visitando o conjunto arquitetônico moderno de Niemeyer, no bairro da Pampulha, em Belo Horizonte; o Santuário de Bom Jesus de Matosinhos; e o centro histórico de Ouro Preto. Apesar de não ter nenhum sítio na lista da Unesco, São Paulo será o último destino do empresário.

Em 2011, Huang Nubo tentou comprar um terreno de 300 km2 para fazer um “eco-resort” com campo de golfe na Islândia. A área, na ocasião, chegou a ser avaliada em US$ 100 milhões, com o projeto ocupando uma extensão equivalente a 0,3% do território islandês. Após acaloradas discussões, o governo do país vetou a proposta do chinês, por supostamente desrespeitar as exigências legais relacionadas à propriedade de terra por estrangeiros, segundo o jornal O Globo.

Nos últimos cinco anos, Huang, que é poeta e montanhista, visitou 600 sítios da Unesco presentes em quase 100 países.

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Empresário chinês visita patrimônio cultural do Rio visando investimentos futuros
Advertisement
lapa dos mercadores 2024 Empresário chinês visita patrimônio cultural do Rio visando investimentos futuros
Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui