Espetáculo ‘Auto da Compadecida’ chega em novembro ao Teatro Clara Nunes, na Gávea 

Clássico de Aruana Suassuna entra em cartaz no Rio com uma montagem que promete surpreender o público

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Atores do O Auto da Compadecida, que entra em cartaz a partir de 08/11, no Teatro Clara Nunes

Entra em cartaz no dia 08 de novembro, no Teatro Clara Nunes, na Gávea “O Auto da Compadecida”, famoso texto de Ariano Suassuna (1927-2014), que já ganhou diversas montagens no teatro, no cinema e na TV. Com direção da dupla Claudia Ventura e Alexandre Dantas, a peça vai levar para os palcos uma versão atualizada e contemporânea deste clássico da dramaturgia brasileira, escrito em 1955, com sessões às quartas, quintas e sextas (20h), até 24 de novembro. A produção do espetáculo é da  In Cena Casa de Artes e Produções.

Em “O Auto da Compadecida” o espectador é transportado para o sertão nordestino através de uma trupe de circo que recria um retrato abstrato da região. Através das incríveis aventuras e confusões dos conhecidos e amados personagens João Grilo, o típico anti-herói brasileiro, e Chicó, seu fiel escudeiro, a peça aborda temas como a religiosidade popular, corrupção e desigualdade social, sempre com um tom de humor, ironia e irreverência característicos da obra de Suassuna. Apesar de fiel ao texto, esta não será uma montagem com elementos caricaturais do Nordeste, onde a história se passa. Para narrar as trapaças e artimanhas dos protagonistas, os diretores optaram por uma encenação focada no ator e na palavra, isto é, criada a partir da relação do elenco com a obra. 

“Acho que o grande diferencial nesta montagem é trazer as origens do circo-teatro, onde o elenco é uma trupe, um grupo de contadores, que chega ali para se divertir e contar essa história, sem cair no óbvio. Quisemos trazer uma encenação diferente que toque e fique nas pessoas”, diz Claudia.

A ausência do sotaque foi uma das escolhas da direção, assim como o cenário e o figurino, trabalhados sem muitos elementos que remetam diretamente e/ou sublinhem as características regionais. 

Advertisement

O Ariano é tão genial que a estrutura das frases já evoca esse espaço físico nordestino. Por isso, não precisa ter o sotaque, o
padre com a batina. Apenas insinuamos esses elementos”, 
explica Claudia. 

Segundo ela, a ideia é induzir que cada pessoa na plateia imagine o seu próprio cenário através da palavra, da manipulação dos objetos e do jogo de cena corporal. “A imagem que está sendo construída em cena só termina na cabeça de quem está
assistindo
”, conclui.

Outra preocupação dos diretores foi tentar manter a originalidade do texto de Suassuna, mas suprimindo aspectos datados, que não cabem mais ser replicados.

Estamos falando de um texto de 1955 e isso nos fez deparar com falas machistas, de um discurso patriarcal que está desatualizado. Nesses casos, optamos por suprimir algumas falas, mas sem perder a piada, claro”, explica Alexandre. O mesmo foi pensado para as cenas de violência, mas, dessa vez, o artifício foi se apoiar no humor. “Outro ponto que nos deparamos foi com a quantidade de mortes. Resolvemos, então, ir na direção do humor, pra palhaçaria e teatralidade, buscando suavizar essa violência presente na trama”, diz.

A montagem conta com 21 atores, entre profissionais e iniciantes, que fazem parte do curso de “Prática de Montagem” da In Cena. Nele, os alunos aprendem todas as etapas de produção de um espetáculo até sua estreia oficial no teatro. Divididos em comissões, cada grupo se responsabiliza por uma área (figurino, cenário, divulgação, produção, entre outros), o que faz com que saiam da formação com uma visão geral do que é fazer teatro para além da atuação.

Esta é a sexta Prática de Montagem que a In Cena apresenta em menos de três anos de funcionamento. Além de “O Auto da Compadecida”, a escola está em cartaz com “Fame”, também no Teatro Clara Nunes, até 25 de novembro. Recentemente, apresentou “Annie – o musical”, que ficou em cartaz no Teatro dos 4, até 8 de outubro. Além disso, a escola já montou “Legalmente Loira”, “Escola do Rock” e “Nas Alturas”, além da produção original, “Poema”, a primeira profissional da escola, vencedora na categoria “Roteiro Original”, do prêmio Musical.Rio. Já “Escola do Rock” recebeu seis indicações ao prêmio, levando três deles: Melhor Ator com Pedro Balu; Melhor Atriz Revelação

Serviço:
O Auto da Compadecida
Temporada: 08 de novembro a 24 de novembro de 2023
Local: Teatro Clara Nunes – Shopping da Gávea (R. Marquês de São Vicente, 52 – Gávea, Rio de Janeiro – RJ, 22451-040)
Informações: (21) 967193154
Datas/Horários: Quarta, Quinta e sexta às 20h
Classificação Etária: 12 anos
Duração: 120 minutos
Ingressos

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Espetáculo 'Auto da Compadecida' chega em novembro ao Teatro Clara Nunes, na Gávea 
Advertisement
lapa dos mercadores 2024 Espetáculo 'Auto da Compadecida' chega em novembro ao Teatro Clara Nunes, na Gávea 
Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui