Espetáculo sobre raízes africanas do tango estreia no Teatro Vanucci, na Gávea

Com música ao vivo e números de capoeira, o espetáculo mostra ao público a importância da origem africana no surgimento do estilo

Foto: Divulgação

Os amantes de tango se surpreenderão com as nuances apresentadas pelo espetáculo “Tangô, Tangô: As Raízes Africanas do Tango”, que propõe um resgate histórico, apresentando as transformações que o ritmo sofreu ao longo do século passado e suas diferentes facetas. A atração, dirigida pelo professor e coreógrafo Luciano Bastos com assistência de Patrícia Pizzolato, tem apresentação única, no Teatro Vanucci, no dia 15/12 às 20h.

Com interseções culturais entre as danças, que trazem números de tango, samba, capoeira, canto e música ao vivo, o espetáculo busca desmistificar o tango como uma exclusividade do argentina. A atração pretende iluminar a importante influência, pouco difundida da cultura africana no surgimento do tango, onde amantes da cultura, da boa música, e até mesmo dos que pouco conhecem sobre, tenham uma noite memorável.

Para Luciano Bastos, mesmo que o tango não seja um ritmo brasileiro, ele traz o DNA das culturas latinas e africanas, que já se difundiram largamente pelo planeta. O bailarino, professor e coreógrafo acredita que diferentemente das culturas euro centradas, o latino é a do calor humano, do encontro, da emotividade, e é disso que trata o tango, que foi alçado à categoria de Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade, enquanto cultura de origem latina e africana.

“Meu desejo é desmistificar o tango no imaginário do público brasileiro. Este estilo está muito mais próximo de nós do que se pode imaginar. O tango, o samba e a capoeira têm a mesma origem: na cultura de matriz africana. O Brasil, no fim do século 19 e início do século 20, viu nascer o tango brasileiro com Ernesto Nazareth, que tinha como uma de suas representantes Chiquinha Gonzaga”, explica o profissional.

Além de Luciano e Patrícia, participam do espetáculo o bailarino, Diogo Carvalho, o capoeirista Ozéias da Silva, parte da equipe de professores da escola, juntamente com um grupo de alunos da Tangueria Luciano Bastos, que mostrarão que o tango é para todos. A música ficará por conta do Trio Revirado composto por Martín Lima, Facundo Estefanell e Márcio Sanchez e da professora e cantora argentina Romina Barcos.

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui