Estações do ramal Deodoro são fechadas para reparo de trilhos partidos

O caso está sendo apurado pela Agetransp

Estação Méier, na Zona Norte Redes Sociais / Agetransp

As estações Méier, Engenho Novo, Sampaio e Riachuelo, do ramal Deodoro, estão fechadas após duas ocorrências de trilhos partidos nas estações do Engenho Novo e Riachuelo. A informação foi divulgada e está sendo apuradas pela Agência Reguladora de Serviços Públicos Concedidos de Transportes Aquaviários, Ferroviários e Metroviários e de Rodovias do Estado do Rio (Agetransp), nesta terça-feira (10). A SuperVia disse que atua no local desde as 9h20 para manutenção de emergência. 

De acordo com a concessionária, o reparo está em andamento e por isso, no momento: trens para Japeri circulam como trens paradores; trens paradores para a Central do Brasil não estão realizando parada nas estações Quintino, Piedade e Praça da Bandeira; e as estações Riachuelo, Sampaio, Engenho Novo, Méier e Silva Freire encontram-se fechadas para embarque e desembarque.

Na última quinta-feira (5), a agência decidiu homologar, com base no contrato de concessão da SuperVia, o reajuste anual de tarifa do preço de transporte ferroviário, fazendo com que o valor da passagem aumente de R$ 7 para R$ 7,40. Na prática, o valor cobrado desde 22 de fevereiro de 2021 é de R$ 5, após acordo entre o Governo do Estado e a concessionária.

Para manter o valor da passagem dos trens em R$ 5 durante o ano de 2023, o governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro afirmou que vai implementar, via decreto, a Tarifa Social ferroviária, ainda em janeiro. A medida valerá para todos os passageiros habilitados no Bilhete Único Intermunicipal, a exemplo do que já ocorre no transporte aquaviário.

Assim, o governo do estado vai subsidiar a diferença de R$ 2,40 para que o valor da passagem permaneça em R$ 5.

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui