Estadão erra e Quintino caiu – Bastidores do Rio

Rua do Mercado pode ser patrimônio do Rio; Morador da Zona Sul nunca está contente; votos do PL e União estão voando; lobby forte contra o Rio

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Foto: Daniel Martins/Diário do Rio

Rio venceu
Não procede que São Paulo terá o primeiro mercado de carbono do Brasil; o Estadão errou e eu caí feito um patinho.

Rio venceu II
Chicão Bulhões mostrou que não apenas o Rio já realizou o primeiro leilão de carbono, mas a ACX, com matriz em Singapura, também já está na cidade.

Rio venceu III
O que falta é uma regulação do mercado no país. Só após a criação de uma lei será possível ter uma bolsa nos moldes da B3.

Rio venceu IV
Alô, Bancada Federal do Rio, essa pauta é importante.

Advertisement

Patrimônio
A deputada estadual Verônica Lima (PT) apresentou um projeto de lei que declara o Quadrado Criativo Beco da Cultura Rua do Mercado como Patrimônio Cultural Imaterial do Estado do Rio de Janeiro. Apoiado.

Só reclama
Uma coisa é certa: o morador da Zona Sul gosta de reclamar. Se o asfalto está com problema, reclama; se colocam asfalto, reclama do barulho à noite e de manhã reclama do trânsito.

Só reclama II
Se fosse no subúrbio, o povo até choraria de alegria… Se eu fosse a Prefeitura, deixaria eles se virarem.

Voto voando
Se tem uma coisa voando, são os votos dos deputados não eleitos pelo PL e pelo União Brasil. A eleição para vereador do Rio que se prepare.

Fim de ano gordo
Funcionários de supermercados vão passar um fim de ano melhor. O Sindicato dos Comerciários fechou acordo com as redes Atacadão, Sam’s Club e Guanabara.

Fim de ano gordo II
O pessoal do Atacadão e Sam’s Club já tem garantido, no mínimo, o reajuste de 100% da variação do INPC; e para as mamães, 180 dias de licença maternidade. Para os papais, 20 dias de licença paternidade.

Fim de ano gordo III
Já o do Guanabara conquistou recentemente 5,5% de aumento salarial e 10% de aumento na cesta básica, sem a obrigação de comprar na loja. E o melhor: o pagamento será retroativo a maio, data-base da categoria.

Não Mete Essa
Ou o Rio se prepara bem contra o lobby de outros estados e cidades, ou vai continuar levando…

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Estadão erra e Quintino caiu - Bastidores do Rio
Advertisement

4 COMENTÁRIOS

  1. Quintino, nem o Estadão errou nem você caiu
    O Rio, de fato, fez um leilão de créditos de carbono de micromobilidade, referente ao programa de aluguel de bicicletas (ok, fica mais bonito chamar de bicicletas compartilhadas). Mas a presença de uma empresa e a realização de um leilão não criam mercado.
    A Bolsa de Valores criou a B4, especificamente para negociar créditos de carbono entre empresas, com estrutura semelhante à B3, que, de imediato, atrai as empresas já listadas, criando, dessa forma, um mercado de crédito de carbono empresarial.
    Não é a primeira bolsa de créditos de carbono do mundo, mas é a primeira com essa composição proposta.
    Nesse sentido, como não há no Rio uma instituição atuando formalmente, nos moldes da B4, São Paulo é sim pioneiro nessa área, especificamente no segmento empresarial centrado em blockchain, o que difere, por exemplo, do mercado voluntário e do modelo que está sendo elaborado pelo governo federal como marco para o setor, ao qual, por sinal, sou bastante crítico por criar um engessamento e restrições de acesso ao mercado voluntário para quem aderir.

  2. O povo do Rio parece que não se importa, via de regra, em defender o próprio estado e capital. Defendem esse condomínio chamado Brasil com unhas e dentes, enquanto os outros estados metem com prazer no Rio, beirando à xenofobia!…
    Enquanto isso, seguimos rindo e festejando iguais a uns bocós vestindo de verde e amarelo e pagando caro a taxa desse condomínio.

  3. A única maneira do Rio de Janeiro independer de brigas por lobby e disputas mesquinhas é:

    * destruir, obliterar, apagar da história o tráfico e a milícia em 100% do território, além de apreensão de todas as suas armas pesadas.

    * melhorar brutalmente a infraestrutura geral, em 100% do território.

    * limpar 100% das baías e praias.

    * organizar melhor as zonas turísticas como os locais de saída de barco em Arraial do Cabo, que são o exemplo de zona completa, mal cheiro e pura bizarrice. Aliás, a cidade é entregue à milícia, de maneira que é impossível saber quando uma pousada ou passeio pertence à empreendedor comum ou a um miliciano (o mesmo valendo pra Cabo Frio).

    * acabar com essa desgraça chamada favelas e transformar tudo em bairros normais.

    * ampliar e melhorar todo o sistema de transporte do estado, de maneira que seja eficiente ma ligação entre bairros da capital bem como outras regiões. Para isso, metrô e trem tem que ser o carro chefe nessas ligações. BRT só é transporte de massa em cidades vagabundas. Em cidades de verdade, o transporte sobre trilhos é o forte.

    * entupir a cidade e o resto do estado de empresas de tecnologia, que é o que move o mundo hoje.

    Só essas mudanças acima já fariam propaganda sozinhas a favor do Rio de tal maneira que essa disputa entre o RJ e outros estados seria completamente desnecessária, pois a natureza complementaria o resto, já que ela é imbatível. Dá pena e vergonha total ver o Rio mendigando atenção dessa maneira.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui