Estado do Rio inicia segunda etapa da vacinação contra a Febre Aftosa em novembro

Serão imunizados nesta fase da campanha bovinos e bubalinos de todas as idades; o pecuarista que não vacinar o rebanho e não realizar a declaração ficará impedido de movimentar seus animais

O Estado do Rio de Janeiro abre a segunda etapa da vacinação contra a febre aftosa no dia 1º de novembro e a expectativa da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária, Pesca e Abastecimento é que 90% do rebanho de bovinos e bubalinos, de todas as idades, sejam imunizados, atingindo a meta de cobertura vacinal estabelecida pelo Ministério da Agricultura. O acompanhamento da vacinação é feito pela Superintendência de Defesa Agropecuária.

Esta é mais uma ação que demonstra a preocupação da gestão estadual em manter o estado no trilho da retomada econômica, garantindo que estes animais estejam saudáveis e prontos para movimentação. Precisamos do apoio de todos os produtores, da adesão dos pecuaristas, para manter o Rio de Janeiro como um dos principais produtores do país“, avalia o governador Cláudio Castro.

A febre aftosa é uma doença de grande impacto social e econômico. Por isso, a equipe de Defesa Agropecuária realiza durante todas as campanhas o trabalho de vistoria e fiscalização de propriedades e de lojas que comercializam a vacina.

Contamos mais uma vez com o apoio dos pecuaristas fluminenses, a vacinação é obrigatória. Esse trabalho em conjunto é essencial. Fiquem atentos ao prazo e não deixem de vacinar o seu rebanho. É o momento de responsabilidade compartilhada“, afirma o secretário de Agricultura, Alex Grillo.

Neste ano, uma mudança na estratégia de vacinação alterou o calendário de imunização da Aftosa. Os pecuaristas do Rio de Janeiro e demais estados do Bloco IV do Plano Estratégico do Programa Nacional de Vigilância para Febre Aftosa (PNEFA) tiveram alteração nas etapas e, por isso, a segunda etapa de vacinação, no mês de novembro, será destinada aos bovinos e bubalinos de todas as idades.

Foto: divulgação

O pecuarista que não vacinar o rebanho e não realizar a declaração ficará impedido de movimentar seus animais.

  • “As atividades da Defesa Agropecuária são consideradas essenciais, por isso a vacinação contra a febre aftosa é imprescindível para manutenção do estado com status de ‘livre da febre aftosa’”, conta o superintendente de Defesa Agropecuária, Paulo Henrique Moraes.
  • Para realizar a vacinação do rebanho, o produtor deve adquirir as doses de 2 ml em revendas autorizadas e mantê-las entre 2°C e 8°C até o momento da utilização e ficar atento às instruções:• Adquirir as vacinas em lojas autorizadas;• Transportar em caixa de isopor com gelo;• Aplicar 2 mL na tábua do pescoço;• Preencher toda declaração de vacinação;• Enviar a declaração e nota fiscal diretamente para um dos núcleos de Defesa Agropecuária do seu município via e-mail ou preencher o formulário disponível no site da Secretaria de Agricultura
Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui