Estado do Rio registra queda de 20% da população em situação de pobreza

Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua)

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Foto: Rafa Pereira - Diário do Rio

O Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN) divulgou levantamento especial sobre os índices de pobreza e miséria nos estados brasileiros. O relatório considerou dados da Pesquisa Nacional por Amostragem de Domicílios Contínua (PNAD Contínua), realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A pesquisa traz resultados dos anos de 2022 e 2023. Nesse sentido, os dados mostram que o estado do Rio de Janeiro esteve acompanhado da tendência nacional, registrando queda nas taxas de pobreza e extrema pobreza. O instituto considerou a linha de pobreza sendo de R$ 664,02 por mês, e a linha de extrema pobreza de R$ 208,42 mensais, a valores de 2023.

O estado do Rio registrou taxa de pobreza de 21,1% no último ano. Isso representou uma queda de 5,5 pontos percentuais em relação ao ano de 2022 (26,6%). O Rio esteve abaixo da média nacional, que apresentou taxa de pobreza de 27,5%, e teve queda de 4,1% em relação ao mesmo período. O estado do Rio é o 18º colocado no ranking nacional, entre todas as unidades federativas. No entanto, apresentou taxa de pobreza superior à de outros estados da região do sudeste, a exemplo de São Paulo (16,5%) e Minas Gerais (20,2%). O Espírito Santo obteve taxa similar, de 22,8%.

A taxa de extrema pobreza também teve queda, embora tímida. O Rio de Janeiro obteve redução de 1,0% da sua taxa de extrema pobreza entre 2022 e 2023 – de 4,6% para 3,6%. Esse resultado implicou numa posição ligeiramente acima no ranking nacional, ocupando a 17ª colocação. Nesse caso, destaca-se o fato de que o Rio de Janeiro apresentou a maior taxa de extrema pobreza entre todos os estados do sudeste. Minas Gerais e São Paulo obtiveram taxa de 2,2%, enquanto o Espírito Santo registrou queda mais significativa – de 4,1% em 2022 para 2,7% em 2023.

Advertisement

Em números absolutos, quase um milhão de pessoas na região fluminense saíram da linha de pobreza entre 2022 e 2023 (946.484). Essa queda representou uma variação percentual de 20,3%. Considerando os números absolutos da região, o estado do Rio ilustrou a quarta maior redução da população em situação de pobreza, superando São Paulo (-15,1%) e Espírito Santo (-12,7%). As unidades federativas que registraram maior redução de pessoas abaixo da linha de pobreza foram os estados do Amapá (-29,8%), Minas Gerais (-25,1%), e Mato Grosso (-22,1%). De acordo com o levantamento, são mais de 3 milhões e meio de pessoas (3.723.491) em situação de pobreza no estado do Rio de Janeiro. Enquanto isso, a população em condição de extrema pobreza no Rio chega a mais de 600 mil fluminenses (636.237).

“Os dados apontam para a necessidade de uma política de assistência aos mais vulneráveis de modo focalizada. O enfrentamento da pobreza demanda esforços coletivos e ações orientadas. Embora o Rio apresente uma redução significativa, a situação segue dramática para uma parte considerável dos fluminenses”, aponta Philippe Guedon, diretor de pesquisa no Instituto Rio21.

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Estado do Rio registra queda de 20% da população em situação de pobreza
Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui