Foto: Divulgação

Por Mariana Zanchetta

Tincoãs. Ave do cerrado brasileiro, que na lenda amazônica, é presságio de morte. Marcada pela sua presença e pelo seu canto, inspirou Erivaldo, Heraldo e Dadinho, na cidade de Cachoeiras, a nomear o trio musical que estava por vir na década de 1960. Com o repertório de boleros, Erivaldo escolhe ficar em Cachoeiras, dando espaço para a entrada de Matheus Aleluia (@mateusaleluia). Aleluia, Heraldo e Dadinho revolucionam a música popular brasileira, com músicas vivas. Cantam sucessos como “Deixa a Gira Girar”, “Cordeiro de Nanã”, “Na beira do Mar”e“Ogundê”. Letras carregadas com suas histórias de vida, aproximando cantos religiosos, deuses, orixás, e sambas de roda, reforçando a ancestralidade afro-brasileira.

Musicalidade essa celebrada pelo Projeto Pra Gira Girar(@pragiragirar), formado pelos artistas Alan de Deus, Alvaro Lancellotti, Ana Magalhães, Diogo Gomes, Michele Leal, Pedro Costa, Zé Manoel e Zero Telles. O coletivo, idealizado a partir da obra de Tincoãs, propõeum olhar da música de origem africana diferente do convencional, sem exotismose não como um simples objeto de estudo.Com uma mistura de instrumentos de percussão e cordas, retomam os arranjos vocais em harmonia, marco pelo trio, para exaltar a história do grupo. Em cirandas, assumem a responsabilidade de ecoar estas vozes, as quais foram –e continuam muitas vezes, sendo silenciadas pela história.

E anota aí: Dia 22 de agosto, o grupo vai se apresentar em um show acústico no SESC Ramos (Rio de Janeiro), as 18:30 horas. E com entrada gratuita! 

Para quem estiver mais interessado, o Canal Curta! disponibilizou um vídeo falando um pouco sobre o projeto:

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui