Exposição sobre violência contra a mulher chega à Zona Sul do Rio

Brasil bate recorde de feminicídio e mulheres negras são as principais vítimas

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Crédito da Foto: Bendito Benedito

Após a estreia na Pequena África, no Museu da História e da Cultura Afro-Brasileira (MUHCAB), e de uma temporada de sucesso no maior Pólo Cultural da América Latina, a Cidade das Artes, a exposição Rosto de Mulher chega à Zona Sul da Cidade, no Instituto Cervantes, em Botafogo. A mostra, que nasce devido a uma experiência familiar envolvendo a mãe do cineasta Jarsom Wayns, é inspirada nas cartas de uma mulher que traz nas suas memórias as marcas da violência doméstica. 

Muito do sucesso da exposição se deve ao cuidado de retratar um tema tão difícil de forma tão sensível, trazendo a identificação de muitas mulheres em suas trajetórias de vida. Segundo uma pesquisa divulgada recentemente no Portal G1, o país registrou 1.463 feminicídios em 2023, uma alta de 1,6% em relação ao ano anterior. O relatório publicado pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP) mostrou ainda, que esse aumento se deu em 18 estados, representando um caso a cada seis horas.

Os dados assustam, mas reforçam a necessidade de retratar este cenário. Na 10ª edição da Pesquisa Nacional de Violência contra a Mulher, divulgada pelo Instituto DataSenado em parceria com o Observatório da Mulher contra a Violência (OMV), 74% das mulheres entrevistadas afirmam que sofreram algum tipo de violência, seja física, psicológica e/ou moral. Só no Estado do Rio, a Central 190 da Secretaria de Estado de Polícia Militar recebeu 57 mil chamados relacionados a casos de violência contra a mulher no ano de 2023. 

Os números comprovam ainda que mulheres negras representam 62% das vítimas de feminicídio, de acordo com a Anistia Internacional. Resultados que envolvem o racismo, a falta de oportunidades e a forte desigualdade social e de direitos. Com isso, através de seis obras, a exposição revela etapas de circunstâncias que uma mulher enfrenta desde a adolescência até a maturidade, lidando com um mundo selvagem e cruel, marcado pelo machismo, mas também promovendo a autoeducação de nossas ações.

Advertisement

Levantando a importante bandeira de combate a violência contra mulher pela perspectiva da arte, Rosto de Mulher traz mais do que histórias de superação. Os grafites e histórias em quadrinhos da artista Natf retratam ainda a selvageria da sociedade em relação às mulheres negras, que vai se conectar às fotografias da jovem indígena Isabel Figueira. O mar é o que transporta inúmeros recursos e lembranças plasmadas na obra de Luanda Maria, uma artista que revela em suas pinturas os mais obscuros silêncios e seu encontro com a natureza, assim como o documentário “Marias” de Yasmim Dias.

A exposição, que fica em cartaz até o dia 27 de abril, traz também a participação especial das obras fotográficas da intervenção “Verborragia”, com direção cênica e dramaturgia de Hudson Batista, da Gudi Hud Produções, e fotografias de Bendito Benedito. Durante a visita é possível viver uma experiência sensorial com o mar, em uma interação de som e imagem.

Programação conta também com rodas de conversa

No dia 11, a partir das 14h, rodas de conversa são oferecidas ao público. As mulheres de axé que fomentam políticas públicas em suas comunidades levantam um interessante debate promovido por Mãe Manú da Oxum, Etemí Flávia da Oxum, Ya Roberta de Yemanjá e Mãe Viviane da Oxum. 

E, logo após, às 15:30h, Edimara Celi traz o empreendedorismo sustentável como ferramenta de empoderamento feminino. Devido à lotação, para participar das atividades é necessário agendar no whatsapp (21) 98319-2771. 

Nos dias 17 e 18 de abril haverá visitas guiadas das 10h às 17h, de segunda a sexta, exceto feriados. A entrada é gratuita e sem necessidade de agendamento. A programação completa pode ser conferida no Instagram @rostodemulher.exposicao.

Serviço:

Exposição Artística Rosto de Mulher

Aberto ao público: até 27 de abril de 2024

Horário: 10h às 17h

Local: Instituto Cervantes

Endereço: Rua Visconde Ouro Preto, 62 – Botafogo

Entrada: Gratuita

Classificação: 14 anos

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Exposição sobre violência contra a mulher chega à Zona Sul do Rio
Advertisement
lapa dos mercadores 2024 Exposição sobre violência contra a mulher chega à Zona Sul do Rio
Renata Granchi
Renata Granchi é jornalista e publicitária com mestrado em psicologia. Passou pela TV Manchete, TV Globo, Record TV, TV Escola e Jornal do Brasil. Escreveu dois livros didáticos e atualmente é diretora do Diário do Rio. Em paralelo, presta consultoria em comunicação e marketing para empresas do trade.
Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui