Felipe Lucena: Tentando atrapalhar final da Libertadores no Maracanã, diretoria do Fla joga contra o Rio, o futebol e o próprio clube 

A Conmebol informou que caso o Flamengo insista em jogar no Maraca dias antes da decisão entre Fluminense e Boca e siga pedindo mais camarotes do que os dois clubes finalistas, o jogo pode ir para outro estádio

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Foto: Gilvan de Sousa/CRF

A insistência da diretoria do Flamengo em jogar no Maracanã poucos dias antes da final da Libertadores deste ano e ainda querer mais camarotes que Fluminense e Boca Juniors para a partida pode tirar o duelo do Rio de Janeiro. A notícia está circulando desde cedo. O fato por trás da informação é que com isso, a gestão liderada por Rodolfo Landim e Marcos Braz (o mesmo que é vereador e se mete em briga com torcedor por aí) joga contra a cidade, o futebol carioca e o próprio clube que administram. 

Desde 2019, a Libertadores passou a ter final em jogo único. Com isso, a cidade da América do Sul definida antes da competição anual se iniciar se prepara para uma boa movimentação turística em torno da partida. Hotéis destinam reservas, pacotes de passeios incluem a decisão, festas são preparadas nas ruas. O Rio de Janeiro, um dos locais mais visitados do continente, é um prato cheio para isso. Os setores do turismo, da gastronomia e dos eventos estão esperando o dia 04 de novembro. Caso o confronto entre Flu e Boca vá para outro lugar, quem perde é o Rio de Janeiro. E de goleada. 

Representando a diretoria de um grande clube do Rio de Janeiro, a atual gestão do Flamengo (que administra o Maracanã junto com o Fluminense) não pode dar uma de menino mimado dono da bola e bater o pé querendo usar um já castigado gramado dias antes do jogo entre clubes mais importante do continente americano no ano de 2023. 

Tendo essa postura, a gestão de Rodolfo Landim e Marcos Braz desrespeita o próprio Flamengo, pois passa uma ideia de mesquinharia, apequenamento. Parece coisa de mau perdedor. Coisa de quem mastigou, mas não digeriu bem alguma derrota recente. 

Advertisement

A informação divulgada mais cedo na coluna de Ancelmo Gois diz que a diretoria do Flamengo quer mais camarotes que Fluminense e Boca para a final. Ainda segundo a notícia, alegam ser os donos do estádio. Que doideira é essa? A dupla Fla-Flu administra o Maraca. Não são donos. E outra, pelas regras da Libertadores, o campo escolhido para a final se torna neutro e a Conmebol organiza o evento da decisão. Se Landim, Braz e companhia querem ver a disputa de perto, comprem ingresso. 

A questão da gestão do Maracanã é muito mais complexa e só uma licitação pode resolver. Já passou da hora do Governo do Estado se mexer para isso, inclusive. O atual Termo de Permissão de Uso (TPU) só dá problema e confusão. E gramado ruim. 

O Flamengo se orgulha tanto de ter muita torcida em todo o país. E tem mesmo. Por que não manda esse jogo contra o Bragantino, há poucos dias da final da Libertadores, para outra cidade? Mostra a força do clube em praças além do Rio de Janeiro e ainda agrada torcedores que não têm tanta oportunidade de ver o time do coração de perto. 

Landim, Braz e demais membros da diretoria do Flamengo que estão tentando atrapalhar a final no Maracanã, parem de jogar contra o Rio de Janeiro, o futebol carioca e o próprio Flamengo. É melhor para todo mundo. Todo mundo ganha.

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Felipe Lucena: Tentando atrapalhar final da Libertadores no Maracanã, diretoria do Fla joga contra o Rio, o futebol e o próprio clube 
Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui