Fernanda Dias: As armadilhas dos produtos FIT

Será que um alimento fit é realmente mais saudável?

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp

Se popularizou há alguns anos os produtos industrializados ou artesanais classificados como fit, as famosas receitas fit disponíveis em sites, canais do YouTube e redes sociais que vão desde preparações salgadas, doces, chocolates, pães, bolos, pipoca etc., que prometem ser mais saudáveis e mais indicadas para uma dieta do que as versões tradicionais daquela preparação.

Será que um alimento fit é realmente mais saudável? A proposta geralmente tem o apelo de ser zero açúcar, zero glúten, sem lactose, vegano, low carb, sem conservantes e corantes artificiais e por aí vai.

Você já comprou produtos fit com o objetivo de emagrecer e não viu a balança mudar? O que acontece é que um alimento fit nem sempre é menos calórico. Isso confunde muito o consumidor que pode ter sido influenciado a comprar aquele produto por uma blogueira fitness ou pela própria marca que usa o marketing maravilhosamente bem a seu favor.

É preciso aprender a ler o rótulo dos produtos, observar atentamente a lista de ingredientes para saber identificar se aquele alimento é fit de verdade! Nem todo alimento que se vende como fit é mais saudável. Produtos classificados como fit nem sempre são melhores opções para dietas de emagrecimento.

Advertisement

Leia também

Deputados propõem destinar R$15 milhões da Alerj para 10 municípios afetados por chuvas no RJ

‘Guadalupe’, ‘Lobo Júnior’, ‘Fiocruz’ e mais: confira os nomes das 20 estações do BRT Transbrasil

Quando pensamos que podemos comer uma versão mais nutritiva de uma preparação que é calórica e pouco saudável, ficamos empolgados achando que por ser fit está liberado comer o quanto quiser. A má notícia é que nenhum alimento pode ser consumido à vontade quando o assunto é dieta, estilo de vida saudável e controle de peso.


A pegadinha pode vir desse pensamento que sendo mais saudável não tem limite de quantidade. Faz sentido para você?


Sou muito a favor de versões mais funcionais das preparações, isto é, receitas mais nutritivas, com ingredientes de melhor qualidade, sem aditivos químicos, com alimentos que contenham propriedades nutricionais que promovem saúde além de fornecer calorias ao nosso organismo. E existem sim bons produtos no mercado, de marcas que realmente entregam para o consumidor uma melhor
versão de preparações convencionais. Só que dá trabalho procurar e escolher opções de boa qualidade. A dica para não comprar gato por lebre é desvendar o rótulo do produto.


Sou contra a restrição desnecessária de alimentos ou ingredientes sem um motivo real de saúde para tal exclusão. Lembrando que a versão fit pode ser lowcarb, porém com mais calorias e mais gorduras que a versão tradicional; sem glúten, porém com carboidratos refinados de alto índice glicêmico que desregulam a insulina e prejudicam o seu emagrecimento; sem lactose para pessoas que não tem intolerância ou sensibilidade alimentar; zero açúcar, porém lotado de adoçantes que podem prejudicar o equilíbrio do seu intestino e viciar seu paladar no sabor doce; vegano, porém com uma lista de ingredientes enorme cheia de aditivos alimentares que irão inflamar o seu corpo.


Será que um produto ou uma receita fit é indicada para você? Ela contribui ou atrapalha o seu processo de saúde? Seu comportamento alimentar fica alterado fazendo você comer mais desse alimento por ser uma versão considerada mais saudável? Vale a reflexão!

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Fernanda Dias: As armadilhas dos produtos FIT

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui