Festival ‘Anima Cinemão’ chega à sétima edição e volta a ser presencial em comunidades do Rio

Mostra leva 30 curtas de animação a favelas e bairros da Zona Oeste em um carro utilitário movido a energia solar e com telão inflável. Confira a programação

Foto: Divulgação

Depois de duas edições restritas por conta da pandemia de Covid-19, está de volta ao circuito cultural carioca a “Mostra Anima Cinemão”, agora na sua sétima edição, presencial e em 12 pontos espalhados pela Zona Oeste da cidade do Rio de Janeiro.  Do Terreirão ao Viaduto Cultural de Realengo, passando pela comunidade César Maia, a Vila Amizade e Taboinha, serão mais de 30 animações infantis para alegrar a criançada em lugares com baixo índice de equipamentos culturais e nenhum cinema. Tudo em dois finais de semana seguidos, no dias 17, 18 e 19 e 25, 26 e 27 de novembro.

“Enxergar o sorriso das crianças diante da telona é uma emoção difícil de explicar. E não são só eles que se emocionam. Mais de uma vez vi pessoas chorando diante da tela, gente que pela primeira vez na vida foi a um cinema”, conta o cineasta Cid César Augusto, criador do projeto que se orgulha de levar a sétima arte a favelas e periferias. “É a missão do Cinemão”.

Cem por cento sustentável, movido a energia solar e com um inédito gerador fotovoltaico, o Cinemão utiliza um automóvel utilitário especialmente adaptado com dois projetores de alta qualidade e um telão inflável, tendo fácil adaptação para ser exibido em praças e locais apertados. Após chegar ao local e inflar a tela (12×9 metros), são espalhadas cadeiras para que as pessoas possam se sentar durante a exibição. Em todos os 12 pontos de exibição da Sétima Mostra Anima Cinemão serão distribuídos sacos de pipoca gratuitamente.

Foto: Divulgação

Este ano a curadoria será do talentoso Pedro Luá, que traz a experiência de trabalhar há 14 anos com animações, entre elas 2D tradicionais, com areia e muita massa de modelar. Autor de curtas metragens como o premiado Sushi Man (20 min/2003), Luá trará títulos de fora do Estado, além de curtas da França e de Portugal, mas prioriza a produção fluminense. Serão 30 títulos no total. Aproveitando a Semana da Consciência Negra ele destaca, entre outros, ‘O SENHOR DO TREM’, que mostra o resgate da ancestralidade africana através da história de criação da GRES Portela;  ‘EWÉ DE ÒSÁYIN’, e ‘STONE HEART’. Todas as sessões começarão às 19h.

A Mostra Anima Cinemão conta com o apoio da RioFilme, órgão que integra a Secretaria de Governo e Integridade Pública da Prefeitura do Rio de Janeiro

Confira as datas e programação:

Dia 17 – Escola Teófilo Moreira  e Comunidade Taboinha, em Vargem Grande

Dia 18 – Terreirão e Comunidade Vila Amizade, Recreio dos Bandeirantes

Dia 19 – Comunidade César Maia, em Vargem Pequena, e Nova Lar, no Recreio

Dia 25 – Campo Rala Coco e Praça do Sobral, em Magalhães Bastos

Dia 26 – Praça Quincas Borba, Sulacap, e Viaduto Cultural de Realengo, em Realengo

Dia 27 – Vila Brasil e Arena Ícaro Campos, em Magalhães Bastos

Filmes:

‘O SENHOR DO TREM’ 0:10:56 2021 Brasil, RJ 2D Aída Queiroz e Cesar Coelho;

‘EWÉ DE ÒSAYIN: O SEGREDO DAS FOLHAS’ 0:22:28, 2021 Brasil, AL/BA/RJ stop motion Pâmela Peregrino;

‘STONE HEART’ 0:08:52 2021 Brasil, AM 3D Humberto Rodrigues;

‘A MORTE DO REI DE BARRO’ 0:04:15, 2005 Brasil, PE stop motion Marcos Buccini;

‘JOSUÉ E O PÉ DE MACAXEIRA’ 0:11:57 2009 Brasil, RJ 2D Diogo Viegas;

‘GUAXUMA’ 0:14:13, 2018 Brasil, França stop motion Nara Normande;

‘TAMO JUNTO’ 0:06:03 2021, Brasil, SP 3D Pedro Conti;

QUANDO A CHUVA VEM?’ 0:08:26, 2019 Brasil, PE stop motion Jefferson Batista;

‘O JUMENTO SANTO’ 0:12:03 2007 Brasil, PE 2D William Paiva e Leonardo Domingues;

‘CAMINHO DOS GIGANTES’ 0:11:52 2016 Brasil, SP 2D Alois Dileo;

‘O PECULIAR CRIME DO ESTRANHO SR JACINTO’ 0:10:50, 2019 Portugal stop motion Bruno Caetano;

FURICO E FIOFÓ, de Fernando Miller (08 min, RJ, 2011);

SALU E O CAVALO MARINHO, de Cecília da Fonte (13 min, PE, 2013);

VOA, JOÃO, de Humberto Avelar (4 min, RJ, 2014);

VIRANDO GENTE, de Analucia Godoi (10 min, RJ, 2014);

AIRIQUITÃ, O INDIOZINHO, de Francisco Tadeu (4 min, RJ, 2015);

CARTAS, de David Mussel (5 min, RJ, 2016);

VESTIDO, de Letícia Leão (1 min, RJ, 2016);

LIPE, VOVÔ E O MONSTRO, de Felippe Steffens e Carlos Mateus Silva Souza (9 min, RS, 2016);

VIAGEM NA CHUVA, de Wesley Rodrigues (13 min, GO, 2016);

CONTOS INCONTADOS: CINDERELA/BRANCA DE NEVE/BELA   ADORMECIDA/ALLADIN, de Fernando Ferreira Garróz (5 min, SP, 2016);

O BRASIL DE TUHU, de Felipe Grosso e Odirlei Seixas (4 min, RJ, 2018);

SONDER, de Nicole Janér (6 mim, RJ, 2018);

LÁ COM CRÉ, de Cassandra Reis (5 min, SP, 2018);

HORNZZ, de Lena Franz (5 min, RJ, 2019);

YARI, de Breno Rohr (4 min, RJ, 2019);

O MUNDO DE CLARA, de Ayodê França (7 min, PE. 2019);

BEBÊ NINJA, de Marão (4 min RJ).

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui