FINALMENTE: Prefeitura remove grandes “puxadinhos chiques” de quiosques na Barra

Após a festa em quiosque que causou o caos no Recreio, a Prefeitura do Rio acordou para o problema e começa a atuar em outros na orla da cidade

Foto: Prefeitura do Rio

O caos causado por uma festa de quiosque no Recreio, seja dita a verdade, algo esperado e que acontecia em menor grau há anos, agora resultou que a Prefeitura do Rio despertasse. Na madrugada desta quarta-feira, 18/11, retiraram três expansões ilegais feitas por quiosques na Av. do Pepê pouco antes da Av. Olegário Maciel, sem nenhuma autorização da Prefeitura. Os “puxadinhos chiques” ocupavam indevidamente uma área pública de aproximadamente dois mil m² em cada quiosque, com estruturas fixas em faixa de área destinada à recuperação da vegetação de restinga e aos banhistas.

Essa operação teve foco no ordenamento nas areias, na praia da Barra da Tijuca. Foram três quiosques que tinham enormes estruturas irregulares nas areias, fazendo utilização totalmente ilegal do espaço público e através dessa operação nós conseguimos retirar esses materiais. Foram pelo menos 11 caminhões cheios de estruturas irregulares, recolhidas pelas equipes que estavam em operação e nós também aplicaremos multas a esses quiosques pela utilização ilegal do espaço público. Essas operações vão continuar acontecendo em outros lugares com foco no ordenamento da praia, especialmente neste período de verão em que o carioca precisa ter as areias com ordem com segurança para que ele possa aproveitar um local que é coletivo, que é de todo mundo“, ressalta o secretário de Ordem Pública, Brenno Carnevale.

A Secretaria de Meio Ambiente já havia notificado e autuado os locais anteriormente, com garantia de prazo para adequação, porém não foi acatado pelos proprietários dos quiosques.

De acordo com informações passadas aos agentes da Secretaria de Ordem Pública, a utilização das áreas chegava a custar cerca de R$3 mil por um dia de fim de semana. 

Também foram apreendidos 11 caminhões com materiais utilizados nas áreas ocupadas ilegalmente como gradis, almofadões, cadeiras, mesas e bancos, entre outros.

Os estabelecimentos eram alvo de dezenas de reclamações de moradores do bairro por conta do uso indevido de área pública e dos shows realizados no local. Seguiremos atentos às demandas da população”, reforça Raphael Lima, subprefeito da Barra da Tijuca.

Advertisement

1 COMENTÁRIO

  1. O Centro, seja na parte comercial ou residencial do Rio de Janeiro, está um caos desde 2020. Qd o Secretário Brenno Carnevale vai se dignar a aparecer aqui e resolver nossos problemas com poluição sonora durante a noite até a madrugada, ocupações irregulares de calcadas e até mesmo de ruas que são fechadas para realização de eventos sem autorização? Sem falar q há muito não temos mais a COMLURB varrendo as calçadas todos os dias na parte residencial e Guarda Municipal fiscalizando. O q dizer dos viciados que tomaram conta das portas dos edifícios e praças? Ter ordem pública apenas onde os governantes e seus familiares e artistas moram é mole. Quero ver aqui que não temos vereadores nos representando na câmara!

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui