Fórum internacional que discute política alimentar urbana tem início no Rio

O evento vai até quarta-feira (19/10) com a participação de mais de 500 delegados, prefeitos e representantes de 162 cidades do mundo

Horta Acolhedora Carioca no Morro da Formiga, na Tijuca - Marcelo Piu / Prefeitura do Rio

O prefeito do Rio, Eduardo Paes, participou, na manhã desta segunda-feira (17/10), da abertura do 8º Fórum Global do Pacto de Milão para Política de Alimentação Urbana, na Cidade das Artes, na Barra da Tijuca, na Zona Oeste da cidade. O evento vai até quarta-feira (19/10) com a participação de mais de 500 delegados, prefeitos e representantes de 162 cidades do mundo, como Paris, Copenhague, Chicago e Washington. Eles vão discutir, de forma presencial e virtual, soluções para políticas públicas, sistemas alimentares e justiça climática. É a primeira vez que o evento é realizado na América do Sul e, nesta edição, o tema é “Comida para Nutrir a Justiça Climática: soluções alimentares urbanas para um mundo mais justo”.

O Pacto de Milão trata da fome, mas também das mudanças dos processos produtivos alimentares. Para nós é uma honra receber um evento internacional que trata de um tema tão importante. Estamos buscando com o Prato Feito Carioca, com as Cozinhas Comunitárias Cariocas, ampliar a política pública para quem precisa. E também temos um programa super importante, as Hortas Cariocas, que estamos expandindo”, afirmou Eduardo Paes.

Além de prefeitos, autoridades representantes de cidades, profissionais de política alimentar, especialistas e pesquisadores estão reunidos no Rio após um ano da última reunião em Barcelona. O evento vai discutir soluções e oportunidades eficazes para combater as mudanças climáticas por meio de políticas e sistemas de alimentação.

Em nome da cidade de Milão dou as boas-vindas a todos vocês ao 8º Fórum Global do Pacto de Milão na bela cidade do Rio de Janeiro. Em 2015 começamos uma jornada de construir um sistema alimentar mais justo e sustentável. Como políticos, temos uma grande responsabilidade de tornar real essa visão. Como prefeitos, transformamos essa visão em ações concretas“, declarou a vice-prefeita de Milão, Anna Scavuzzo.

Durante o encontro será assinado o Pacto de Política Alimentar Urbana de Milão, um acordo internacional entre prefeitos. Mais do que uma declaração, é uma ferramenta concreta de trabalho para as cidades e vai listar 37 ações, agrupadas em seis categorias (Governança, Dietas Sustentáveis e Nutrição, Equidade Econômica e Social, Produção de Alimentos, Abastecimento e Distribuição de Alimentos e Desperdício de Alimento), para serem implantadas como políticas alimentares. Para cada ação recomendada serão apontados indicadores específicos para monitorar os avanços na implementação do Pacto.

Entre as 162 cidades no evento, 30 delas participarão on-line. As principais sessões serão transmitidas pelas plataformas digitais do Pacto de Milão.

Premiação para as melhores ações

Nesta segunda (17/10), no final do primeiro dia do evento, haverá a cerimônia de premiação dos vencedores do Milan Pact Awards 2022. Na premiação, serão apresentados os esforços que as cidades membros estão realizando para alcançar as recomendações dos Pactos. As cidades premiadas oferecem exemplos concretos das políticas alimentares implementadas dentro das categorias recomendadas pelo Pacto.

Prefeitura do Rio no combate à fome

O combate à fome é uma das diretrizes da Prefeitura do Rio, que está desenvolvendo novas políticas públicas e intensificando outras já existentes. Desde servir refeições e vale-alimentação para os que mais precisam até oferecer hortas para as comunidades trabalharem e produzirem alimentos. Nas escolas, a utilização de alimentos produzidos pela agricultura familiar cresce, assim como as hortas educativas.

Durante o 8º Fórum Global do Pacto de Milão, as políticas alimentares desenvolvidas pela Prefeitura do Rio, como o Prato Feito Carioca, as Cozinhas Comunitárias Cariocas, as Hortas Cariocas e as Hortas Escolares serão também tema de debate junto aos pares de outras cidades do mundo. Os projetos serão apresentados no segundo dia do evento (18/10), entre 9h e 11h, com a presença das secretarias de Assistência Social, Educação e Meio Ambiente e Clima.

Prato Feito Carioca e Cozinhas Comunitárias

Este ano, em julho, a Prefeitura do Rio criou o programa Prato Feito Carioca, uma política pública para produzir refeições e oferecer à população. Desde então, já foram oferecidas 300 mil refeições. Além disso, foram inauguradas as Cozinhas Comunitárias Cariocas, onde, diariamente, são preparadas e fornecidas refeições balanceadas e seguras para famílias em situação de extrema pobreza. Para trabalhadores informais com renda até R$ 210, a Prefeitura entregou 5 mil cartões refeição Prato Feito Carioca, que possibilita comer em locais próximos ao trabalho.

Hortas Cariocas

O Hortas Cariocas é um programa da Secretaria de Ambiente e Clima com o objetivo de reduzir a insegurança alimentar de famílias que vivem em vulnerabilidade social, além de criar postos de trabalho, gerar renda e afastar jovens da criminalidade. Está presente em 56 pontos da cidade, sendo 29 comunidades e 27 escolas da rede municipal de ensino. O programa também tem o intuito de incentivar o combate ao desperdício de alimentos, coibir a ocupação irregular de áreas frágeis, criar espaços de convivência e capacitar cariocas para a gestão empreendedora.

Ao longo de 16 anos, o programa já produziu cerca de mil toneladas de alimentos, beneficiando mais de 60 mil famílias. O programa já recebeu três reconhecimentos, incluindo dois internacionais: Prêmio Empreendedor Sustentável (2015), Prêmio Pacto de Milão na categoria Produção Alimentar (2019), além de ter sido incluído pela ONU na lista de ações essenciais para alcançar os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS). Atualmente, 283 mutirantes atuam no programa, recebendo bolsa-auxílio que varia de R$ 500 a R$ 1.000.

E nessa mesma linha, a cidade avança para ter a maior horta urbana do mundo, com extensão equivalente a 15 campos de futebol. Hoje, a horta do Parque Madureira Mestre Monarco já conta com 55 canteiros produtivos e outros 95 em desenvolvimento. A previsão é que sua expansão seja concluída em 2024.

Hortas escolares

O Hortas Escolares atua em 276 unidades escolares da Secretaria de Educação. O programa propõe a implantação, manutenção e consolidação de hortas educativas e jardins em escolas como espaços destinados às práticas ambientais e conta com o envolvimento de 130 mil alunos. Essa produção incentiva a alimentação saudável, promove o melhor aproveitamento da merenda e viabiliza a interlocução entre diferentes áreas de conhecimento compreendidas na segurança alimentar.

A alimentação ofertada aos alunos matriculados nas unidades escolares do município é preparada, em parte, com alimentos de origem orgânica, produzidos por agricultores familiares.

Advertisement

1 COMENTÁRIO

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui