Freixo conversa com representantes da Câmara de Comércio França-Brasil sobre emprego, renda e novos investimentos

Ele conversou com representantes de empresas francesas que têm sedes no Estado do Rio

Foto: Divulgação

O candidato a governador Marcelo Freixo (PSB) participou, na manhã desta segunda-feira (29), de um encontro na Câmara de Comércio França-Brasil do Rio de Janeiro, localizada no centro da capital. Ele conversou com representantes de empresas francesas que têm sedes no Estado, como as gigantes Alstom, do setor de transporte ferroviário; Cushman, gestora de fundos imobiliários; EDF, plataforma para projetos e serviços de geração térmica e hídrica; LÓreal, de cosméticos; Michelin, de produção de pneus e Nexans, do setor da eletrificação.

“Foi uma reunião muito boa e falamos sobre emprego, renda e desenvolvimento. A França tem muitos investimentos no Brasil inteiro, são mais de 500 mil empregos que empresas francesas oferecem no país. Foi uma conversa muito proveitosa sobre investimentos no Rio de Janeiro. O que eles querem é segurança política, segurança jurídica. Precisamos de um governador que tenha credibilidade, tenha equipe e traga possibilidades de novos investimentos. O Rio precisa crescer. Essa é a virada que a gente está propondo para o Estado”, disse Freixo.

O candidato falou, também, sobre a parceria futura. “Fomos muito bem-recebidos, com uma perspectiva muito grande de parceria e para trazer investimentos pra cá. Existe uma expectativa de saber como o Rio vai organizar sua economia. Temos a economia do petróleo e do gás, há expectativa de explorar melhor a atividade do gás mas também de fazer com que uma diversificação econômica aconteça. Há preocupação com o turismo, com empreendimentos novos, com atenção e olhar para o interior. Precisamos, efetivamente, ter mais segurança para que esses investimentos venham, para que os investidores tenham tranquilidade para instalar negócios e gerar emprego no Rio”, complementou.

Na sequência, Freixo seguiu para um encontro com representantes de bares e restaurantes, no Bar do Adônis, em Benfica, onde conversou com 40 empresários da capital, Baixada e de São Gonçalo. “Nós vamos criar emprego no Rio de Janeiro. E o setor de bares e restaurantes é a principal porta de entrada dos jovens no mercado de trabalho. Um em cada quatro jovens do Rio estão empregados em bares, restaurantes e hotéis do Estado. Essa é uma das áreas que mais enfrenta dificuldades por causa da pandemia e, para o Rio voltar a crescer, nós vamos fortalecer esses estabelecimentos. Vamos dar crédito facilitado, assistência técnica e apoio à formação profissional através da Casa do Empreendedor”, disse o candidato.

Ele assumiu o compromisso de resolver um dos grandes desafios do setor: “Os bares e restaurantes são um patrimônio do Rio de Janeiro e eu vou garantir uma das coisas mais importantes para que essa atividade se desenvolva mais: a segurança para que as pessoas possam trabalhar e prosperar em paz. É assim que a gente vai colocar o Rio de Janeiro de pé!”

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui