Fuga de presídio federal leva autoridades do RJ a intensificar monitoramento

O monitoramento foi intensificado no RN, em conjunto com outras unidades da federação

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp

Após a fuga de Rogério da Silva Mendonça e Deibson Cabral Nascimento, detentos do presídio federal de Mossoró, no Rio Grande do Norte, as autoridades de segurança do Rio de Janeiro estão em alerta. O governador Cláudio Castro anunciou na quinta-feira (15/02) que o monitoramento foi intensificado no estado, em conjunto com outras unidades da federação, conforme explicou o secretário estadual da Polícia Militar, coronel Luiz Henrique Marinho Pires.

Essa fuga, que representa um incidente inédito no sistema penitenciário federal sob coordenação da Secretaria Nacional de Políticas Penais (Senappen), desencadeou uma ampla operação de vigilância por parte das autoridades de segurança do Rio de Janeiro. A unidade de Mossoró, localizada a 280 quilômetros de Natal, está no centro das atenções.

Em resposta, o Ministério da Justiça e Segurança Pública designou Carlos Luis Vieira Pires como interventor no presídio de Mossoró, substituindo Humberto Gleydson Fontinele Alencar, afastado após a fuga. O ministro Ricardo Lewandowski também determinou uma revisão dos protocolos de segurança em todas as cinco penitenciárias federais do país.

Enquanto as investigações sobre a fuga estão em andamento, com a Polícia Federal liderando os esforços, as buscas estão sendo realizadas por policiais federais, rodoviários federais e policiais militares do Rio Grande do Norte. A vigilância foi reforçada nas divisas do estado, com a Interpol também acionada para incluir as informações dos fugitivos em seus sistemas de difusão e monitoramento de fronteiras.

Advertisement
Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Fuga de presídio federal leva autoridades do RJ a intensificar monitoramento
Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui