Furto de cabos deixa mais de 25 mil clientes sem luz em janeiro, segundo a Light

De acordo com a concessionária, dez bairros foram impactados pelas ações dos ladrões. A empresa sofreu um prejuízo de R$ 250 mil

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Imagem ilustrativa de cabos de energia - CC0 Domínio público. Foto: Px Here

A população do Rio de Janeiro está sendo tortura pela falta de energia ou pelo medo de que isso venha acontecer. As causas são variadas, mas o furto de cabos da rede subterrânea da Light está entre as principais delas. Segundo a concessionária, somente em janeiro deste ano mais 25 mil clientes de dez bairros da cidade tiveram as suas rotinas impactadas por mais de 180 horas sem energia elétrica. Centro, Copacabana, Barra da Tijuca, Botafogo, Grajaú, Jacarepaguá, Recreio dos Bandeirantes, Laranjeiras, Tijuca e Vila Isabel foram os locais atingidos. O prejuízo da Light foi de R$ 250 mil.

Mas os furtos não param por aí. Entre 1º de janeiro e 19 de fevereiro de 2024, o Disque-Denúncia recebeu ainda denúncias sobre furto de fios de cobre, sendo a cidade do Rio de Janeiro a mais atingida pelo delito. A Light já repôs 1.652 metros de cabos e reparou 107 danificados por ação de criminosos.

Segundo a concessionária, o furto de um ou mais cabos da sua rede subterrânea não gera falta de luz instantaneamente porque um dos padrões utilizado pela empresa é o sistema de baixa tensão reticulado – composto por diversos transformadores ligados em paralelo por vários cabos, formando uma malha que absorve impactos controlados – mas a sobrecarga gerada pode levar à instabilidade ao sistema e, consequentemente, falta de luz na região afetada, podendo prejudicar hospitais, farmácias, delegacias e supermercados

“A interrupção do cabo resulta na interrupção do fluxo de corrente elétrica na porção do circuito associada a esse cabo. Isso pode gerar desequilíbrios na carga e afetar a estabilidade do sistema”, explicou o gerente de Operação e Manutenção da Rede Subterrânea da Light, Leonardo Bersot, acrescentando que a sobrecarga pode levar à queima de equipamentos do sistema elétrico: “Isso é como se cortassem a ‘estrada’ pela qual a eletricidade viaja. Sem essa ‘estrada’, a eletricidade não pode mais fluir normalmente, resultando na interrupção do fornecimento de energia para a região afetada. Além disso, o ato de retirar o cabo pode causar danos aos equipamentos de distribuição elétrica, exigindo reparos para restabelecer a continuidade elétrica”.

Advertisement

Como exemplo, ele citou o que ocorreu em Copacabana, em 28 de janeiro, quando aproximadamente 15 mil clientes ficaram sem energia por mais de 12h por causa do furto de cabos de energia elétrica.  A Light registrou uma ocorrência na 12ª Delegacia de Polícia.

Furto de cabos aumenta em 2023

O ano de 2023 foi um pesadelo para concessionária, que registou um aumento de 160% do número de furtos de cabos na Região Metropolitana do Rio, em relação ao ano anterior, que contabilizou 6 mil metros de fios subtraídos. Segundo a Light, foram mais de 16 mil metros de cabos de cobre perdidos para os ladrões, o equivalente à quatro voltas completas na orla do bairro da Zona Sul carioca. Somente em 2023, mais de 192.377 mil clientes ficaram sem luz por até duas horas, como consequência das 373 ocorrências. O prejuízo da empresa foi de quase R? 4 milhões.

O furto de fios de cobre, no ano passado, também foi imenso, com 514 ocorrências registradas no Disque-Denúncia, que teve acesso a informações sobre ladrões, a forma e os locais onde os crimes ocorrem e para onde material é levado para ser vendido.

O contato do Disque-Denúncia pode ser feito pelo número de telefone e whatsapp (21) 2253-1177. O anonimato é garantido.

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Furto de cabos deixa mais de 25 mil clientes sem luz em janeiro, segundo a Light
Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui