Furto de cabos elétricos deixa Praça Demétrio Ribeiro, em Copacabana, às escuras

Segundo a CET-Rio, o Rio de Janeiro tem sido alvo constante de furtos de cabos elétricos e equipamentos dos sinais de trânsito

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Furto de cabos elétricos na Praça Demétrio Ribeiro / Sociedade Amigos de Copacabana (SAC)

A Praça Demétrio Ribeiro, localizada na esquina de Avenida Princesa Isabel com a Rua Barata Ribeiro, em Copacabana, na Zona Sul da capital, está às escuras há, pelo menos, três dias, segundo postagens da Sociedade Amigos de Copacabana (SAC) em suas redes sociais. A causa da escuridão, de acordo com SAC, seria o furto decabos elétricos de vários postes da região. O jornal O Globo informou que a subconcessionária Smart Luz já teria sido acionada pela Rio Luz para vistoriar a Demétrio Ribeiro e realizar os reparos necessários.

Ao veículo, o presidente da Sociedade Amigos de Copacabana, Horácio Magalhães, destacou que há dois anos o bairro vem sofrendo com o aumento de furtos de cabos de todos os tipos e materiais metálicos.

Copacabana, no entanto, não é o único bairro vitimado pelo vandalismo e pelo comércio criminoso desses materiais em ferros-velhos clandestinos espalhados pela cidade. A região da Grande Tijuca também é uma vítima constante de furtos em sua fiação elétrica, entre outros elementos. Há uma semana, a página no Instagram @tijuca postou um vídeo denunciando que quatro sinais de trânsito do bairro estavam sem funcionar por conta dos furtos da fiação elétrica. Pedestres e condutores que passavam pela Avenida Maracanã e pelas ruas Conde de Bonfim e Rua General Roca – mais mais movimentadas do bairro – foram prejudicados pelo apagão semafórico.

O administrador do perfil @tijuca, Diogo Parreira, disse ao jornal que sinais apagados são comuns na Tijuca, mas simultaneamente era incomum.  

Advertisement

“Estava passando pela Conde de Bonfim e vi o sinal sem funcionar. Depois andei mais um pouco, vi mais dois e, em seguida, vi outro. Este problema de sinais apagados não é novo. Mas o fato de serem vários, muito próximos, me chamou a atenção”, relatou Diogo.

De acordo com a CET-Rio, o Rio de Janeiro tem sido alvo constante de furtos de cabos elétricos e equipamentos dos sinais de trânsito. Somente em 2023, a Grande Tijuca teve mais de 11 quilômetros de cabos e 23 equipamentos furtados. O prejuízo dado ao contribuinte foi de R$ 1,4 milhão. Há pouco mais de um mês, agentes da Secretaria de Ordem Pública (Seop) e da subprefeitura da região fecharam um ferro-velho clandestino, localizado na Avenida Brás de Pina, no bairro da Penha, na Zona Norte, onde foram encontrados 155 quilos de cobre sem procedência, uma arma de fogo e postes de iluminação à venda. O local não possuía alvará de funcionamento nem câmeras de segurança, como determina o decreto 50.225. Na ação, o responsável pelo ferro-velho foi encaminhado à 22ª DP (Penha).

As informações são do jornal O Globo. As imagens são da página Sociedade Amigos de Copacabana.

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Furto de cabos elétricos deixa Praça Demétrio Ribeiro, em Copacabana, às escuras
Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui