Vivendo com o inimigo: filha planeja golpe milionário contra a própria mãe, causando um prejuízo de R$725 milhões

Sabine, única herdeira de Jean Boghici, planejou e executou um roubo de 16 obras de arte da coleção da família; três pessoas também foram presas, e uma das envolvidas, Rosa Stanesco, tentou fugir pela janela de um apartamento em Ipanema, na Zona Sul

Foto: Reprodução

Nesta quarta-feira, (10/08), uma mulher, identificada como Sabine Boghici, foi presa por um golpe milionário contra a própria mãe, na Zona Sul do Rio. A idosa de 82 anos, Geneviève Boghici, foi enganada e ameaçada pela filha durante dois anos e sofreu um prejuízo, estimado por ela, de R$ 725 milhões, entre pagamentos sob extorsão e quadros roubados, incluindo obras de Tarsila do Amaral e de Di Cavalcanti.

Sabine é filha de Jean Boghici, um grande colecionador e negociante de artes romeno, morto em 2015.

Alguns dos quadros levados já foram recuperados, um deles, Sol Poente, de Tarsila, que batiza a operação, é avaliada pela vítima em R$ 250 milhões. Essa obra de Tarsila, inclusive, foi salva de um incêndio na casa de Jean Boghici em Copacabana, em 2012. Na ocasião obras milionárias foram destruídas.

Além de Sabine, três pessoas haviam sido presas, sendo elas: Gabriel Nicolau Traslaviña Hafliger; Jacqueline Stanescos; e Rosa Stanesco Nicolau, a vidente “Mãe Valéria de Oxossi”.

Inclusive, Rosa Stanesco, tentou fugir e chegou a cortar uma tela de proteção da janela de um apartamento em Ipanema, Zona Sul, para escapar da polícia.

O golpe

A Polícia Civil do RJ afirma que a filha elaborou o plano no início de 2020. O primeiro passo foi contratar uma mulher para abordar a mãe no meio da rua e alertá-la sobre uma morte iminente na família — no caso, a da própria filha.

Essa ‘vidente’ levou a idosa a outras duas comparsas, apresentadas como uma cartomante e uma mãe de santo, que confirmaram a previsão e lhe sugeriram pagar por “um trabalho” para salvar a filha.

Após cair na armadilha, sua filha prosseguiu com o plano e fingiu ficar apavorada, suplicando para a mãe fazer o trabalho espiritual. A mãe obedeceu e fez, em um intervalo de 15 dias, pagamentos que totalizaram R$ 5 milhões.

No início de fevereiro, a idosa começou a perceber que a filha tinha relação com as ditas videntes e parou de fazer os repasses. A filha começou a agredir e ameaçar a própria mãe, que só então percebeu o plano e foi proibida de sair de casa, ou, receber visitas.

Obras de arte

Ao todo, 16 obras de arte foram roubadas. Três delas, avaliadas em mais de R$ 300 milhões, foram recuperadas em uma galeria de arte de São Paulo. O dono do estabelecimento confirmou à polícia que vendeu outros dois quadros para o Museu de Arte Latino-Americano e disse não ter desconfiado do golpe por conhecer a família.

A polícia listou 16 obras roubadas da idosa, que avaliou os valores:

  • O Sono, de Tarsila do Amaral: R$ 300 milhões;
  • Sol Poente, de Tarsila do Amaral: R$ 250 milhões;
  • Pont Neuf, de Tarsila do Amaral: R$ 150 milhões;
  • O Menino, de Alberto Guignard: R$ 2 milhões;
  • Elevador Social, de Rubens Gerchman: R$ 1,5 milhão
  • Mascaradas, de Di Cavalcanti: R$ 1,5 milhão;
  • Maquete Para Meu Espelho, de Antônio Dias: R$ 1,5 milhão;
  • Aquarela sem título, de Cícero Dias: R$ 1 milhão;
  • Coruja ao Luar, de Kao Chi-Feng: R$ 1 milhão;
  • Ela, aquarela, de Cícero Dias: R$ 1 milhão;
  • Porto de Pesca rem Hong-Kong, de Kao Chien-Fu: R$ 1 milhão;
  • Mulher na Igreja, de llya Glazunov: R$ 500 mil;
  • Desenho representando uma paisagem, 1935, de Alberto Guignard: R$ 150 mil;
  • Église Saint Paul, de Emeric Marcier: R$ 150 mil;
  • Retrato, de Michel Macreau: R$ 150 mil;
  • Rue des Rosiers, de Emeric Marcier: R$ 150 mil.

Agentes da Delegacia Especial de Atendimento à Pessoa da Terceira Idade saíram para cumprir, no total, seis mandados de prisão e 16 de busca e apreensão.

Vítima é viúva de um dos maiores marchand do Brasil

A francesa Geneviève Boghici é viúva do romeno Jean Boghici, um dos maiores colecionadores de arte do Brasil. Ele morreu em 2015, aos 87 anos, no Rio de Janeiro vítima de embolia pulmonar. Presa nesta quarta-feira acusada de aplicar golpe milionário na mãe, Sabine Boghici é filha única do casal.

Em 2012, parte do acervo de Jean foi destruído em um incêndio que atingiu o apartamento da família em Copacabana.

Advertisement

1 COMENTÁRIO

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui