Governo do Estado investe mais de R$ 1,95 bilhão em Educação

150 colégios do Estado passaram por intervenções, como: reparos de telhados, implantação de sistemas de climatização e adaptação de quadras poliesportivas

As E-Tecs contam salas makers para produção audiovisual, robótica e experimentações / Divulgação

A Educação do Rio de Janeiro vai fechar o ano de 2022 com mais de R$ 1,95 bilhão investidos pelo Governo do Estado, através da Secretaria de Estado de Educação. O montante corresponde aos recursos aplicados em 2021 e 2022. Nesse período, foram investidos R$ 352 milhões na construção e reforma de 150 colégios, que receberam reparos de telhados, implantação de sistemas de climatização, colocação de cobertura e adaptação de quadras poliesportivas e adequação do sistema elétrico. As unidades contaram ainda com projetos de prevenção contra incêndio e pânico. A rede do estadual de ensino conta com 1.233 escolas, 53 mil professores ativos e 700 mil alunos.

Uma das marcas da gestão do atual governo é a revitalização dos Cieps que, a partir de julho, ganharam um novo perfil pedagógico, com a transformação das unidades em E-Tecs (Escolas de Novas Tecnologias e Oportunidades). Com a medida o Governo do Estado pretende modernizar toda a estrutura física e pedagógica de 50 Cieps. Já foram entregues e modernizadas 25 escolas na capital e no interior. As demais unidades serão entregues em 2023.

Investir na Educação é fundamental para o futuro do nosso estado. E oferecer um ambiente adequado para alunos e professores é um dos principais compromissos da nossa gestão. Não vamos poupar esforços para garantir uma escola de qualidade aos nossos jovens,” disse o governador Cláudio Castro (PL).

Em 2022, a população fluminense também ganhou com a ampliação das escolas interculturais, com a abertura de seis novas unidades: Brasil-Japão, Brasil-Alemanha, Brasil-Rússia, Brasil-China, Brasil–França e Brasil-Índia. Atualmente, a rede de escolas interculturais compreende 12 colégios interculturais: Estados Unidos, Alemanha, Japão, Espanha, México, Itália, Turquia, Rússia, França e China, ambos com duas unidades. Em 2023, serão abertas mais oito escolas em parceria com México, Argentina, Índia, França e Colômbia, totalizando 20 escolas bilíngues.

Ainda em 2022, o Estado registrou a expansão do modelo pedagógico vocacionado ao ensino cívico-militar, através da implantação de mais uma unidade escolar. E, no mês de março, dois Colégios do Corpo de Bombeiros foram integrados à rede da Secretaria de Estado de Educação. Agora, o modelo pedagógico orientado ao ensino cívico-militar conta com 14 unidades escolares.

O magistério também foi beneficiado pelas ações estatais, com um investimento de quase R$ 1 bilhão em benefícios, além da distribuição do excedente dos recursos do Fundeb, no valor de mais de R$ 419 milhões. Este ano, a rede estadual de ensino ganhou ainda mais 600 docentes dos concursos de 2013 e 2014. Também foram aportados em tecnologia: R$ 480 milhões para expansão tecnológica da rede.

As escolas estaduais também realizaram conquistas nas áreas da defesa ambiental e da alimentação, com a criação de 100 hortas comunitárias, que atendem as demandas alimentares dos alunos, além de ensinar conceitos sustentáveis. O Colégio Estadual Compositor Luiz Carlos da Vila, no Jacarezinho, na Zona Norte do Rio, é uma das unidades a contar com horta comunitária.

No que diz respeito ao descarte de resíduos, o Estado tem a  primeira escola certificada pelo Instituto Lixo Zero com o Selo Lixo Zero, por conseguir reaproveitar mais de 90% de seus refugos. O Ciep E-Tec 480 Professor Luiz Carlos Veronese, localizado em Nova Friburgo, na Região Serrana, destinou 93% do lixo produzido diariamente à compostagem ou reciclagem, evitando que os resíduos terminassem em aterros sanitários.

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui