Governo do Estado realiza consulta pública do Metroleve da Baixada

A consulta acontece até o dia 21 de junho. Duas audiências públicas serão realizadas, nos dias 1º e 7 de junho. O objetivo é que a sociedade civil possa colaborar com a melhoria do programa

O Governo do Estado do Rio realiza, a partir desta segunda-feira (23/05), a consulta pública da fase de mobilidade do Programa de Redesenvolvimento Urbano Integrado da Baixada Fluminense. Nesta fase está prevista a implantação do Metroleve, novo sistema de transporte de passageiros sobre trilhos em quatro municípios, com integração ao sistema de trens e metrô na Pavuna, no Rio de Janeiro. Os documentos estarão disponíveis no site www.metroleve.rj.gov.br e a consulta acontece até o dia 21 de junho. Duas audiências públicas serão realizadas, nos dias 1º e 7 de junho. O objetivo é que a sociedade civil possa colaborar com a melhoria do programa. 

O Metroleve é mais um projeto muito aguardado pela população que vamos tirar do papel. Através dele, vamos reduzir o tempo dos deslocamentos de milhares de pessoas que perdem horas no trânsito na Baixada Fluminense. Ele será um marco para a Baixada e para o nosso estado. Mais que um novo sistema de transporte, essa iniciativa vai promover o desenvolvimento no entorno das estações, fortalecer a economia e gerar trabalho e renda nas cidades”, disse o governador Cláudio Castro.

O projeto é coordenado pela Secretaria de Estado da Casa Civil e pelo Instituto Rio Metrópole. A consulta pública e as duas audiências vão apresentar os documentos elaborados pelas equipes técnicas. As audiências serão virtuais, os links serão disponibilizados no site do projeto. Durante o prazo da consulta, os interessados poderão acessar as informações e enviar comentários e sugestões, também através do site.

A consulta pública e as audiências vão ajudar a garantir a transparência do processo. Nosso objetivo é melhorar a vida da população e todos poderão participar ativamente desse processo. Nossos técnicos estão trabalhando para que esse projeto seja feito de forma ágil e eficaz”, explicou o secretário de Estado da Casa Civil, Nicola Miccione.

Metroleve

O Metroleve é um dos principais investimentos do PactoRJ e integra ação de requalificação urbana e redesenvolvimento socioeconômico da Baixada Fluminense. O novo sistema de transporte terá 23 km, passando pelos municípios de Nova Iguaçu, Belford Roxo, Mesquita, São João de Meriti e pelo bairro da Pavuna, no Rio de Janeiro, onde haverá integração com os sistemas de metrô e trens. O Metroleve possui estimativa de realizar 196 mil viagens por dia quando estiver em plena operação.

A previsão é de que, no segundo semestre, seja lançada a licitação, que vai contemplar a elaboração do projeto executivo, execução de obras, fornecimento e implantação dos sistemas fixos e móveis.

Advertisement

6 COMENTÁRIOS

  1. A Baixada já é bem servida por linhas ferroviárias… com estações em seus principais centros. O certo seria investir esse valor para revitalizar o sistema, principalmente a Linha Belford Roxo constantemente sendo interrompida por conta da insegurança… assim como finalizar e consertar os muros em volta dos trilhos, assim como susbstituir cruzamentos em nível.

    Quanto à Baixada, o mais correto seria reorganizar o sistema de ônibus local a fim de as linhas alimentarem as estações existentes. Uma racionalização como ocorre em várias regiões metropolitanas do país. Isso aumentaria a capilaridade, contribuindo para os 2 sistemas, sem a necessidade de gastar com essa nova linha.

    E sim, a prioridade deveria ser terminar a Estação Gávea e fechar o Anel da Linha 01 – desviando o fluxo de quem vai da Barra ao Centro pela Tijuca…. assim como interligando a R.A da Grande Tijuca à R.A. da Lagoa, duas das que mais oferecem empregos e serviços da metrópole. O sistema ganharia em conforto e também em número de usuários.

  2. Espero que não esqueçam de finalizar a Linha 4 pois as obras pararam há anos e também a Linha 3 do Metrô que até hoje nunca saiu do papel o projeto.

  3. Mais oferta de opções parece uma coisa sempre boa, mas com exceção de São João, acho que todos os outros lugares já são contemplados com o trem. Então, que ao menos a qualidade possa ser bem maior, tipo ter câmeras. Já que melhorar o que se tem, antes de trazer novidades, dá-me a impressão de que nunca acontecerá.

  4. Que maravilha!!! A Baixada necessita muito. Porém vejo a necessidade tbm de preparação e resgate do projeto e da capacidade operacional da linha 2 que usa composições de 6 carros em vez de 8 por ter q entrar na linha 1 a partir da Central, cujas estações só comportam 6 vagões por composição e tbm os intervalos são maiores devido a paradas para espera de passagem do metrô linha 1 para não haver colisões.

    Esse erro grotesco quem fez foi Cabral e precisa ser desfeito retomando o traça da linha 1 da Estácio até a PraçaXV passando com as estações Catumbi, Praça da Cruz Vermelha e carioca. Isso aumentaria sua capacidade e diminuiria os intervalos entre um e outro.

    Em paralelo a construção desse metrô leve é essencial que se Complete a linha 2 por esse traçado original e feche o anel da linha 1 ligando a estação Uruguai a Gávea preparando tbm sua estação em dois níveis assim como a Carioca para cruzar com a linha 4 Alvorada X Centro via Jardim Botânico previsto originalmente e já projeta uma ligação metroviária Nova Iguaçu x Caxias via Belford Roxo, Coelho da Rocha e Vilar dos Teles.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui