Governo do RJ entrega 600 barracas para feiras de agricultura familiar no estado

Implantação de mais feiras livres nos municípios reforça a segurança alimentar, aumenta o escoamento produtivo e gera renda e desenvolvimento às famílias agricultoras

Foto: Divulgação

No intuito de fortalecer as feiras da agricultura familiar no interior, o Governo do Estado, por meio da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Rio de Janeiro (Emater-Rio), vai entregar 600 novas barracas para diferentes polos produtores fluminenses. A implantação de mais feiras nas comunidades rurais consolida a estratégia de escoamento por circuito curto da produção, favorece a organização do setor agropecuário, aumenta a qualidade socioeconômica das famílias no campo e contribui para o acesso da população a alimentos mais orgânicos, saudáveis e baratos.

“Fortalecer a produção familiar, incentivar o agronegócio e garantir que a população tenha segurança alimentar: são três pontos fundamentais para a nossa gestão. Trabalhar para que esses produtores consigam comercializar de forma digna aquilo que produzem é um dever que eu cumpro com muito orgulho”, avalia o governador Cláudio Castro.

As feiras livres nos municípios interioranos também formam um vetor cultural importante para a população, sendo espaço de desenvolvimento para a economia solidária, como o artesanato e o turismo rural. O presidente da Emater-Rio, Marcelo Costa, enfatiza a necessidade de investimento para fomentar as múltiplas cadeias produtivas da agricultura fluminense, além de desenvolver matrizes econômicas alternativas e sustentáveis, considerando as potencialidades naturais das famílias produtoras.

“Com as feiras são ofertados produtos muitas vezes desconhecidos pelo público em geral, como as Plantas Alimentícias Não Convencionais (Pancs), contribuindo ao resgate do consumo de hortaliças e frutas tradicionais de cada localidade e à segurança nutricional da população. Pensamos no circuito curto de comercialização, pois traz a oferta de alimentos frescos e garante um preço mais justo aos produtores por ser uma venda direta ao consumidor, num esforço de diminuir a distância ao mercado institucional e de abastecimento. Ao todo, foram aportados R$ 936 mil para a compra das barracas”, destaca.

A partir das demandas, identificadas em levantamento feito junto aos municípios em 2021, a Emater-Rio destinou recursos para a aquisição dos lotes das barracas, organizadas através dos extensionistas locais que atendem as famílias produtoras. O provimento de mais feiras com produtos orgânicos e de base agroecológica enriquece os sistemas alimentares e aumenta a qualidade de vida dos cidadãos fluminenses, uma vez que as grandes redes distribuidoras não são próximas do cultivo familiar.

Na esteira de vetores estratégicos, o Plano Nacional da Alimentação Escolar (PNAE) é um dos programas usados para o repasse de verbas aos produtores no objetivo de compor as cestas da merenda escolar das escolas públicas e otimizar a comercialização de produtos regionais. O trabalho é desenvolvido desde 2009 pela Emater-Rio”, indicou a gerente técnica estadual de Projetos Sociais e Mercados Institucionais, Cristianne Mendonça.

Nesse sentido, a técnica especialista Marlize Porto pontuou a formalização dos agricultores e a fidelização de clientes à produtos oriundos do cultivo familiar como os principais aspectos ao desenvolvimento da atividade agropecuária no estado.

“Facilitando espaços de valorização da cultura tradicional alimentar, os empreendedores sentem-se atraídos em ofertar mais produtos da agroindústria, como queijo, conservas, defumados, compotas, entre outros, enriquecendo o mercado de abastecimento. A comercialização nas feiras cria um vínculo com os consumidores, fidelizando o atendimento e ampliando as possibilidades de entrada aos mercados de consumo, concedendo estruturas mais formalizadas, com registros, documentações e benefícios”, detalhou.

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui