Governo do Rio entrega 81 viaturas para unidades de conservação e anuncia tecnologia para combater o desmatamento

No total, já foram entregues 162 carros para unidades de conservação; já o objetivo do novo sistema é acelerar o trabalho de fiscalização contra crimes ambientais de forma remota

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
RJ 05-06-2023 - Inea entrega 81 viaturas com o vice Govenardor Thiago Pampolha .Fotos Luis Alvarenga

No Dia Mundial do Meio Ambiente, esta segunda-feira (05/06), foi lançado na sede do Instituto Estadual do Ambiente (Inea) o inovador Sistema Estadual de Áreas Embargadas do Estado do Rio de Janeiro chamado “Embargo Remoto”. Em meio ao evento, também foram entregues 81 viaturas destinadas ao trabalho de fiscalização ambiental. Estas novidades fazem parte de um conjunto de ações para o aprimoramento da conservação ambiental fluminense.

Estes novos veículo somam-se aos entregues às unidades de conservação municipais no último mês, totalizando 162 carros. As viaturas serão utilizadas em ações operacionais de áreas preservadas e para atender às diferentes demandas e necessidades do dia a dia de cada região. Já a nova ferramenta tecnológica permitirá à secretaria e ao instituto agilizarem o trabalho de fiscalização remoto em áreas rurais dentro de unidades de conservação ambiental e também a realizar o embargo em áreas municipais para garantir a recuperação ou a regeneração da área afetada.

A criação desse novo sistema coloca o RJ em um patamar ainda mais avançado no combate às ações de desmatamento. Agora vamos punir os infratores remotamente, identificando tudo por meio do trabalho de inteligência feito com imagens de satélites, cruzamento de dados cartoriais, até chegar no bolso dos infratores, por meio de sanções no sistema financeiro. Estamos trabalhando com todo vigor para tornar o Rio de Janeiro a capital verde da América Latina, preservando o território fluminense e suas áreas de conservação“, afirmou o Governador Cláudio Castro.

Monitoramento Online

Advertisement

Leia também

RJ continua com previsão de chuva nesta quinta-feira

Águas do Rio alega não saber sobre situação da Cedae mas presidente foi diretor da empresa – Bastidores do Rio

O Sistema Estadual de Áreas Embargadas no Rio de Janeiro não acabará com o trabalho de fiscalização em campo. A tecnologia, que realiza sensoriamento remoto e cadastros virtuais para a notificação, permitirá que seja realizado o embargo de áreas via monitoramento de satélite, o que otimizará os processos e dará mais celeridade à proteção da Mata Atlântica. 

O novo sistema também contará com uma coleção organizada de informações digitais referente às áreas embargadas. Esses dados serão disponibilizados para consulta pública na internet, com a finalidade de subsidiar a tomada de decisão e as políticas públicas estaduais e municipais de proteção ambiental. A ferramenta é um acréscimo aos esforços de preservação, já que previne o avanço e a ocorrência de perda de vegetação, além de agilizar o processo administrativo de apuração de infração ambiental.

Todas as novidades também serão utilizadas no âmbito do programa “Olho no Verde”, que atualmente realiza o monitoramento florestal por imagem de satélite, detectando automaticamente alertas de desmatamento no estado e enviando essas informações às equipes de fiscalização da Secretaria de Estado do Ambiente e Sustentabilidade e do Inea de forma estratégica e inteligente. 

Estamos avançando tecnologicamente na proteção à nossa Mata Atlântica e nos adaptando às novas ferramentas que estão disponíveis para combatermos os crimes ambientais no estado. O território verde e a biodiversidade fluminense, hoje, estão mais protegidos e vigiados do que nunca“, celebra o Vice-Governador e Secretário de Estado do Ambiente e Sustentabilidade, Thiago Pampolha.

Punições

Uma vez constatada a infração ambiental, poderão ser aplicadas as sanções: perda ou restrição de incentivos e benefícios fiscais; perda ou suspensão da participação em linhas de financiamento em estabelecimentos oficiais de crédito; proibição de contratação com a Administração Pública pelo período de até três anos; suspensão de registro, licença, permissão ou autorização; e cancelamento de registro, licença, permissão ou autorização.

Para o presidente do Inea, Philipe Campello, a adoção de medidas tecnológicas e de inteligência são fundamentais para tornar o trabalho do instituto em todo o Rio de Janeiro ainda mais eficiente. “As 39 unidades de conservação estaduais são grandes protagonistas quando pensamos nos avanços da agenda verde fluminense. Espalhadas por todo o território do estado, as UCs promovem desde a educação ambiental até ações diretas para a proteção da nossa biodiversidade. Esse fortalecimento é crucial para o desenvolvimento sustentável do nosso estado“, afirmou.

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Governo do Rio entrega 81 viaturas para unidades de conservação e anuncia tecnologia para combater o desmatamento

Advertisement

2 COMENTÁRIOS

  1. No Rio de Janeiro, a Prefeitura é a maior criminosa cortando as árvores urbanas que cumprem o seu papel no meio ambiente e planta calçada em seu lugar.

  2. Fantástico mundo de Bob
    Se no local não funciona, imagina de longe; se a autoridade é confrontada ao vivo, imagina a distancia.
    Mas ha quem creia…os ingleses.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui