Grande Rio doa fantasias de carnaval para o Museu Nacional

As peças, que farão parte das futuras exposições, contam a história das festas populares, celebrações de rua e os carnavais no Brasil

Foto: Divulgação/Grande Rio

A escola de samba Acadêmicos do Grande Rio doou parte das fantasias do desfile campeão de 2022 para o acervo do Museu Nacional, no Rio de Janeiro. De acordo com a escola, foram doadas sete fantasias e a maior parte das peças pertencia ao quinto setor do desfile “Festas, folias, carnavais”, que contou a história das festas populares, celebrações de rua e os carnavais no Brasil.

No Carnaval 2022, a escola de Duque de Caxias foi a grande campeã, e pela primeira vez, com o enredo “Fala, Majeté! Sete Chaves de Exu”. As peças artísticas da festa tradicional foram doadas pelos carnavalescos Gabriel Haddad e Leonardo Bora, responsáveis pelo desfile do ano passado.

As fantasias serão enviadas para o Laboratório de Antropologia do Lúdico e do Sagrado do Museu Nacional, que está em fase de reconstrução, e farão parte das futuras exposições do Museu.

Significado

As fantasias remetem aos maracatus, frevos, afoxés, grupos de bate bolas e escolas de samba. É uma releitura das festas através do carnaval. Uma das obras, a fantasia “Festas, folias, carnavais” tem como pano de fundo a energia brincante de Exu, ao levar para o desfile uma cabeça em referência a Exu Mirim, entidade infantil que se manifesta na linha do “povo de rua”.

Outro significado muito carioca é da fantasia “Sete da Lira”, que homenageia o bloco de Seu Sete da Lira, Exu que baixava na mãe de santo Cacilda de Assis na Zona Norte do Rio, e ganhou expressiva notoriedade nos anos de 1970. O terreiro de Cacilda, no bairro de Santíssimo, recebia milhares de fiéis para se consultar com Seu Sete da Lira.

Informações são do jornal G1.

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui