Guaratiba inicia vacinação experimental contra Dengue em parceria com Fiocruz

A iniciativa visa abranger um grupo de 20 mil indivíduos com idades entre 18 e 40 anos

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Foto: Divulgação

Um novo capítulo na luta contra a dengue se inicia em Guaratiba, Zona Oeste do Rio de Janeiro, com o início da aplicação da primeira dose da vacina experimental contra a doença nesta sexta-feira (16/02). A iniciativa, fruto de uma parceria entre a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), o Ministério da Saúde (MS) e a Fiocruz, visa abranger um grupo de 20 mil indivíduos com idades entre 18 e 40 anos.

O programa, conduzido sob a supervisão do secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, tem como propósito de avaliar a eficácia do imunizante em adultos, fornecendo dados cruciais que podem influenciar a decisão de incluir ou não a vacina no calendário nacional de imunização. Desenvolvida a partir do vírus atenuado, a vacina estimula a resposta imunológica, promovendo a produção de anticorpos contra os três sorotipos da dengue.

“Essas pessoas serão acompanhadas por dois anos para avaliar a eficácia da vacina. Após a seleção e coleta de amostras de sangue para sorologia, a vacinação ocorre em duas etapas, com intervalo de três meses entre elas”, explicou Soranz. Durante esse período, os participantes serão monitorados para verificar a ocorrência de infecções pelo vírus. “Também estaremos atentos a quaisquer reações adversas à vacina. É importante ressaltar que se trata de uma vacina segura, aprovada pela Anvisa e testada em outros países”, acrescentou o secretário.

A escolha da região de Guaratiba para o estudo não foi aleatória. Além de ser uma das áreas mais afetadas pela dengue devido à presença do mosquito Aedes aegypti, a localidade representa uma amostra significativa da população brasileira. “Guaratiba possui características demográficas semelhantes à média nacional e uma alta incidência de dengue. Sua boa cobertura de saúde pública e estabilidade populacional tornam-na ideal para este estudo”, avaliou Soranz.

Advertisement

A secretária de Vigilância em Saúde e Ambiente do Ministério da Saúde, Ethel Maciel, destacou que a faixa etária escolhida para o estudo no Rio não estava inicialmente contemplada pelas diretrizes da Organização Mundial da Saúde (OMS), que recomendava a vacinação entre 6 e 16 anos. A ampliação da faixa etária permitirá uma coleta de dados mais abrangente e adequada à realidade da dengue no Brasil.

Entretanto, é importante ressaltar que a vacinação não é indicada para pessoas imunodeprimidas, gestantes, lactantes, pacientes com febre ou alérgicos a algum componente da vacina. Além disso, até o momento, a vacina não está autorizada para aplicação em idosos. Este estudo representa um passo importante na busca por soluções eficazes para combater a dengue e proteger a saúde pública.

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Guaratiba inicia vacinação experimental contra Dengue em parceria com Fiocruz
Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui